Archive | February, 2012

Demorou, mas chegou!

29 Feb

(finalmente, hein?)
 

Logo que coloquei no ar o primeiro vídeo com os produtos do mês, meu namorado assistiu, virou pra mim e falou assim: “isso é uma mentira”. Oi? Mentira? Ele disse “você não fala assim. As pessoas vão achar que você fala assim”. hahahahah Isso é verdade, gente. Me baixa um exu caveirinha na hora de fazer esses vídeos e eu falo de um jeito muito estranho, meio canastrão. Não sei o que é, gente, talvez seja o estrelato? Um deslumbre diante da câmera? Pode ser. O fato é que fico falando desse jeito aí, como se estivesse mastigando alguma coisa.

Mas voltando ao vídeo, né, dessa vez falo (mastigando) dos meus produtos preferidos na hora de lavar e condicionar os fios. Essas linhas estão no meu box desde o início do ano (geralmente mantenho duas marcas e vou revezando) e eu estou gostando muito! Espero que gostem do vídeo!

As tendências d’O Artista

27 Feb

Quem me acompanha pelo twitter (vem!) sabe que eu mal comentei os looks do tapete vermelho do Oscar. Comentei pouco por duas razões a) tem muita gente que faz isso melhor que eu; b) o namorado tava preferindo ver o Fantástico. Mesmo assim deu pra dar uma espiadinha e curtir a capa do Batman que a Gwyneth Paltrow vestiu e todo o look Las Vegas pirigético de J.Lo. Afinal, Oscar é pra ousar, né? Então pronto.

Daí que a grande estrela da noite não foi o filme O Artista, produção parte francesa, com atores franceses sobre a old Hollywood, dos anos 20/30. Enquanto metade de Paris grita chuuuuupa!, eu peço licença para comentar. Não o filme, que achei bacana e, de certa forma, inovador no que diz respeito à linguagem (mas um pouco chato) e sim ao figurino da personagem de Bérenice Bejo, a Peppy Muiller da história. São looks inteiros que a gente pode usar como referência – sem sair fantasiada de melindrosa, gente – desse período da história da moda. Tem muita cintura rebaixada nos vestidos, uma silhueta mais seca, meio retangular, acessórios de cabeça e FRANJAS! Vale anotar tudinho.

,

Olha aí o look mais humilde da Peppy, antes de alcançar o estrelato.

.

E olha de onde veio o modelo: das mãozinhas de Mark Bridges, responsável pelo figurino.

(Tem uma entrevista bem bacana com ele aqui)

.

Franjas, adoro o.O

.

.

.

Fiquei apaixonada pelos acessórios de cabeça

.

Mas aí você pergunta: será que dá pra trazer essas referências pro dia a dia sem medo de ser apontada na rua (ou na internet)? Lógico que dá. O fato é que vários estilistas mergulharam nessa silhueta glamurosa dos anos 20 para o verão 2012-2013. A gente consegue pescar um monte de detalhes que podem atualizar e glamourizar o look – vamos olhar com carinho duas maisons em particular? (é só clicar que as imagens aumentam)

.

A Ralph Lauren apresentou acessórios que todo mundo tem em casa – ou pode comprar baratinho! – colar compridão, broche com cara de antiguinho, cardigan e chapéuzinho.

.

Já Gucci sambou na nossa cara com vestidos cheios de brilho, franjas e formas retangulares (repara na cintura do segundo modelo, lááá no quadril)

;

Isso só reforça um pensamento que eu já acreditava: que a moda nasce na rua, nos filmes, no comportamento das pessoas, e daí vai pra passarela e pras lojas, voltando pra rua. Eu particularmente adorei esse retorno aos anos 20, mas não vou deixar de usar as peças mais sessentinhas, por exemplo. O bacana da moda é a gente misturar todas as referências de estilo e adequar ao nosso guarda roupa e à nossa realidade, né?

Links de segunda – Black Edition!

27 Feb

Eu passei minha infância e parte da minha adolescência sem ter ídolos negros. Mulheres bonitas, homens bonitos, gente de destaque em suas profissões. Hoje fico feliz de saber que, com a internet, milhões de meninos e meninas negras podem procurar fontes de inspiração – principalmente no meio da moda e beleza! Por isso, resolvi indicar 3 links bacanas de blogs super inspiradores, vamos lá?

.

.

Ubora

Desenvolvido pelo paulistano Jun, de 22 anos, o blog aborda de tudo um pouco: grandes nomes da moda, fotografia, estilo. Fala muito de moda masculina também (alô meus 4 leitores!), incluindo cabelos, comportamento, uma salada muito bacana e bem organizada. Tipo de blog que dá vontade de salvar tudo numa pastinha para colher inspirações sempre.

http://ubora.wordpress.com/

.

.

Black Girl With Long Hair

Esse site é uma enciclopédia sobre cabelos crespos. Tem entrevistas, dicas de leitoras, produtos. É muito bacana pq eles derrubam uma série de mitos sobre cabelos crespos, uma ideia que eu gostaria de trazer aqui pro blog também. Entre os posts mais frequentes, está uma série de perfis de blogueiras com cabelos LINDOS e um estilo de dar inveja. E foi assim que conheci a:

.

Gisella Francisca

A Gisella é linda de morrer. Só isso já seria suficiente para você clicar no link e apreciar as fotos dela. Só que além disso ela ainda posta makes lindos, cheios de cor, que super fogem daquela dica antiga dos “tons terrosos para pele negra”. Ela super me inspirou a usar a sombra azul que o namorado deu há alguns meses.

http://www.gisellafrancisca.com/

.

Curtiram?

Pra você que também tem dicas de links bacanas e quer compartilhar, é só comentar aqui ou na Fan Page do blog!

 

Zero ziriguidum

23 Feb

E aí, minha gente, como foi o Carnaval de vocês? Por aqui pelo SS! não rolou nada, nem make de Carnaval (não sei lhufas de maquiagem), nem penteados, nem dicas de blocos, eu sei que sumi, mas foi por uma boa causa! João conseguiu uma folguinha em cima da hora e fomos para um paraíso perdido na costa de Paraty, aqui no Rio. Acampamos desde a época de colégio, e dessa vez não foi diferente: colocamos a mochila nas costas e fomos – o trajeto inclui ônibus, barco e trilha! Tudo para chegar na incrível praia de Martins de Sá, que visitamos pela quarta vez.

.

Não sei se vocês gostam de acampar. Eu acho uma opção barata e já me acostumei com os perrengues. Mas para quem quer tentar pela primeira vez, tenho um montão de dicas. Vocês gostariam de ver um post sobre o assunto? O que levar, o que deixar em casa, dicas de destinos, essas coisas? Afinal de contas, a Semana Santa vem aí e pode ser a chance de fazer uma viagem mais barata e divertida. Que tal?

Enquanto me bezunto de hidratante, vou colocar um look pós-carnaval (até pq em Martins eu só usei biquíni e short e, acreditem, atualmente a visão não é das mais bacanas por aqui. Shame on me total) só para o blog não ficar vazião. Usei ontem, já no Rio, quando fomos matar a vontade de comer carne no Outback (passamos 6 dias comendo peixe!). Resolvi investir em cores claras para enfatizar minha cor preta-preta-pretinha e arrematei com uma flor na cabeça para aproveitar o restinho do clima de carnaval.

.

.

.

.

Saia Dona Clementina. Blusa Maria Filó. Colares da Feirinha da Saens Pena. Sandália Santa Lolla. Flor Myth.

.

E o Carnaval de vocês, como foi?

Quem colocou os peitos de fora na Sapucaí? Quem fugiu do ziriguidum? Quem arrasou nos blocos de rua? Contem TUUUDO!

Six Little Things Especial!

15 Feb

.

A Farm é uma marca que eu gosto bastante. Eu não moro na Zona Sul, não vou à praia todos os dias e dificilmente tenho dinheiro para comprar suas peças fora da promoção, mas mesmo assim essa marca me atinge num grau que, oi, temos que considerar. Eu adoro o fato como ela transmite uma essência que é só dela, que traduz um pouco do jeito da carioca e que, de repente, o Brasil inteiro quer curtir também. E acho bacana como a marca sempre cria novas formas de atingir suas clientes – mesmo as potenciais, como eu – em tudo quanto é mídia (o adoro! é referência, e a marca também está no twitter e no instagram). Para quem gosta de comunicação, é um prato cheio.

Daí que essa segunda-feira a marca acertou em cheio mais uma vez ao lançar a sua coleção de inverno, em primeira mão, para clientes selecionadas. Não fui selecionada, mas tenho amigas finas selecionadíssimas, então estive lá. Pra você que trabalha com assessoria, pra você que trabalha com eventos, pra você que curte ações de comunicação, olha que interessante: a nova coleção, Pharm Social Club, evoca um clubinho fechado de meninas bacanas. Para isso, nada melhor do que um evento no Golf Club do Rio, com champagne em latinha, sorvetinho e massagem nos pés para as convidadas. E como a Farm não está de bobeira, colocou as peças da nova coleção (que ainda não chegou às lojas), expostas, para serem desejadas – e compradas! E tem mais: os instagramfanáticos (oi!) que citassem a hashtag #Pharmsocialclub ganhavam a foto publicada impressa.

Anotou tudo? Vai pensar num evento todo cheio de ganchos bacanas como esse? Pensa como é bacana linkar a ação diretamente à temática da promoção, despertando desejo e, oba! consumo. Todo mundo sai ganhando: a cliente, que se sente exclusiva, a marca, que vai parar em tudo quanto é mídia espontaneamente, e a área comercial, que dá pulinhos vendendo peças que nem nas lojas estão.

Depois dessa resenha (falou *a entendedora*), vamos direto para a coleção de inverno da Farm, cheia das fofuras características da marca.

.

1. Mullet Dresses

Olha, gente, o mullet dress é uma realidade! Não cheguei a experimentar, mas adorei a proposta do modelo com tecidos finos e esvoaçantes. Com um cardigan longo vira um look poderoso e quentinho para um inverno não muito rigoroso. O modelo também está disponível em saias de malha mais fina.

.

2. O vestido da Madonna!

Eu vi esse vestido e lembrei NA HORA do clipe de Celebration. Olha como é bem parecidinho! O modelo é todo tachado e justinho, ótimo pra sair e se acabar nas buáti.

.

3. A estampa de tenista

Presente em blusinhas, shorts e em um blazer, essa estampa tem tudo para ser um clássico da coleção – só eu fiquei com vontade de jogar tênis depois de começar a ver a novela das seis?

.

4. As estampas de borboletas

Essa estampa está presente em uma camisa social (linda, em uma modelagem gigaaante), saia longa, blusinhas… é a que dá a cara da coleção, e está presente em peças mais luxuosas, com um tecido que me pareceu seda (aquela que conhece tecidos, né). Por isso, preços salgadinhos (a camisa custa mais de 200 paus).

.

5. Peças Preppy

São muitas blusinhas com gola Peter Pan e lacinhos que, como a minha amiga Luciâni bem lembrou, evocam a Blair Waldorf que existe dentro de você. Uma coisa meio colegial rica, sabe como?

.

6. Bijus Pesadonas “Dumal”

Caveiras, cruzes e correntes que fogem totalmente das bijus com cara hippie que a marca comercializava nas últimas coleções. Bem bacana combinar esse tipo de bijus com vestidinhos colegiais, e peças preppy de uma forma geral – você sai do lugar comum e dá um tempo no cupcake que, né, já deu.

.

E aí, gostaram? Vocês acham legal falar de ações de comunicação das marcas? E antecipar coleções que a gente vai desejar em poucos meses?

1º sorteio do ano no So Shopaholic!

10 Feb

Quem lê o blog há um tempinho sabe que eu não sou muito de sorteios. Mas sou super ajudar azamigas nos seus novos projetos! Então não tinha como não curtir o novo empreendimento da minha  colega Laila, que fez Comunicação comigo e resolveu começar um negócio próprio – aliás, parabéns pela coragem, querida! A lojinha, Miss Dandelion, foi fundada em parceria com a prima, Diana, e vende uma profusão de artigos fofos! Tem calcinhas, bijus, e até cangas super femininas – olha o verão! Aposenta aquela canga rasgadinha, amiga! – tudo bem organizado em um site bacana.

Mas agora vamos ao que interessa? Sorteeeeeeio! Não um, mas DOIS!

.

1º sorteio: colar de lacinho prateado! Tirei uma foto com ele para vocês verem que o comprimento é bem bacana, super dá pra combinar com outros colares (adoro o mix, ouvi dizer que está fora de moda, hahah).

.

2º sorteio: Pode ter um preferido? Pq eu AMEI esse modelinho creme! Deve ser pq estou numa fase dourada (adorei esse termo, “fase dourada”, vamos adotar? Tipo pra outras coisas também? “Ai, me poupe desse stress, estou na minha fase dourada”. Ninguém entende nada e você faz a fina, combinado?), e vocês podem ver que o comprimento é o mesmo.

.

Pra participar, você não precisa me seguir no twitter, nem dar RT nas bobagens que eu escrevo lá, nem seguir no facebook, nem dar 3 pulinhos – até pq eu não iria conferir nada disso. É só comentar esse post com a frase: “TÔ DE OLHO NUM DESSES COLARES, MISS DANDELION!”. E pronto. Na segunda, à noite, sai o resultado dos sorteios – é the flash a parada!

P.S.: Não tem como escolher o modelo do colar, tá? Na hora do sorteio, a primeira menina leva o prateado, e a segunda leva o dourado.

.

Vocês curtem sorteios? Pq eu estou com outro aqui na manga pra semana que vem :)

.

UPDATE: Agora eu entendo pq a galera coloca tantos sorteios por aí! Foram muitos comentários, nossa! Quem comentou, comentou, agora é hora do sorteio! Já já saberemos as duas contempladas!

.

Resultados!

Evelyn Moraes!

O colar prateado é seu!

.

Lorena Fernandes!

O colar dourado é seu!

.

Aguardo o endereço de vocês no soshopaholic@gmail.com

Besitos!

Cadê o balão de oxigênio, produção?

7 Feb

Falei que era obsessão, falei que tinha um problema, mas olha só. Não sou a única apaixonadinha pelo Ryan Gosling, pra começar. Até Victoria Beckham curte o cidadão, beleza? Não me culpe.

Ah, você não me culpa? Você viu algum dos filmes, né? Sei.

Então esse post é pra você, que também gamou.

E pra você, que não aguenta mais me ver falando de Ryan Gosling no facebook mas, ao mesmo tempo, quer saber mais, tá com um comichão danado, dizaí.

E, finalmente, para você, amiguinho babaca, que fica falando que o cara é gay mas queria era ter o incrível poder de sedução de nosso amado Ryan.

.

Segura, Berenice, esse post é todinho sobre ele:

♥ Ryan participou do encarte Hollywood Issue do New York Times. Com tema sombrio inspirado em vilões famosos do cinema, o ensaio é bem bacana. Touch Of Evil conta também com o Brad Pitt. Dá só uma olhada na série de vídeos dirigida por Ross Richardson.

.

Dead Man’s Bones é o nome da banda que Ryan criou, em 2008, com o amigo Zack Shields. Os dois se conhecem desde 2005, época em que Ryan namorava com Rachel McAdams (oi, você também gosta de casais que saem da ficção?) e Zack namorava a irmã dela, Kayleen. Dead Man’s Bones tem um único álbum, homônimo, criado para ser a trilha sonora de um musical, e que foi gravado com o coral infantil de Silverlake. O álbum, lançado em 2009, é sombrio, mas diverte. Confiram In The Room Where You Sleep, que já já vira toque do meu celular:

Melhor comentário do vídeo: “Meus ovários explodiram”.

.

♥ O fato de Braddley Cooper ter “roubado” o 1º lugar na eleição do Sexiest Man Alive da Revista People não agradou aos fãs de Ryan. Também, né gente. A galera inclusive protestou em frente à redação da revista! Cadê a gente que não tava lá?

.

Quer argumento melhor que esse abdomen?

.

♥ Ryan e a namorada, a atriz Eva Mendes, participaram do vídeo de Natal do site Funny or Die. Trata-se de um dos caras do site, bêbado, contando para os amigos sobre a noite em que ele viu o Papai Noel em pessoa. É engraçado, mas todo em inglês, sem legendas até onde eu procurei.

.

♥ Como tudo o que é bom (ou bobo), Ryan virou meme na internet. O tumblr F*ckYeahRyanGosling posta uma série de fotos de Ryan com textos de cantadas baratas, sempre começando com “Hey, girl”. É meio @pedreiroonline, sabe? hahahaha Dá inclusive para você mandar a sua colaboração.

.

Aí, gata, você roubou todas as minhas camisetas? Eu não posso ir pro trabalho sem camisa, de novo.

.

Aí, gata, sem brincadeira… Eu acho que seria um pai maneiro. Vamos virar fazedores de bebês profissionais.

.

Aí, gata, acho que preciso de um abraço agora.

.

Aí, gata, eu entrei numa vibe meio gótica… meio emo. Então eu plantei um jardim pra você.

.

Ei, gata, prometo que essas não vão pro Facebook. Prometo!

.

P.S.: Ryan comentou o Fuck Yeah Ryan Gosling e só falta chorar de rir!

Existe lugar para um “Orgulho Negro”?

1 Feb

Eu sei que esse blog é um lugar muito leve. Aqui eu falo muita bobagem, é a minha diversão, meu hobby. Mas essa semana eu vi um link sendo largamente divulgado nas mídias sociais, e não poderia discordar mais. E como o blog é o lugar onde eu falo basicamente o que passa pela minha cabeça, achei que aqui seria o melhor lugar para discutir o tema.

Comecemos do começo. Um belo dia, Danillo Gentili achou que seria legal publicar uma piada no twitter: “King Kong, um macaco que, depois que vai para a cidade e fica famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?”

Todo mundo se revoltou, disseram que era um racismo e tudo mais. Daí me vem a super resposta do humorista, que você pode ler na íntegra no tão divulgado link. Em sua defesa, Danilo levanta a bandeira do negro x preto (sendo um termo socialmente aceito e outro não), “piada com gay pode, mas com preto não pode”, “somos todos uma única raça, a humana” e, finalmente, o politicamente correto, não se pode mais fazer piada de nada nesse país, etc etc.

Antes de tudo, acho possível ser engraçado sem, necessariamente, fazer piada de português/gay/loira/preto. É mais difícil? Acho que é. Mas dá pra ser engraçado. Existe uma linha muito tênue aí, mas não é de humor que eu quero falar nesse post.

O que eu quero falar é sobre o tal do “somos todos de uma única raça, a humana”, e que pequenos atos não configuram racismo. Lógico que eu concordo que somos iguais. Mas eu acho que o mundo não pensa assim. Eu realmente acho que haverá um momento em que estaremos tão miscigenados que não apontaremos a cor da pele de ninguém, mas daí dizer que um “orgulho negro” justifica um “orgulho branco”, e que uma pessoa que sai com uma camiseta escrito “100% negro” está fazendo uma idiotice, isso não faz sentido. Não faz sentido porque a história do negro é completamente diferente da história do europeu. E não falo da escravidão pura e simples (Danilo vem me dizer que “na África, uma tribo escravizava outra”, isso é justificativa pra quê, alguém explica?), falo do psicológico mesmo. Porque o negro foi tão apontado como inferior, como feio, como burro, que isso está enraizado na gente até hoje. O cabelo do negro é “ruim”, por exemplo – como se cabelo fizesse algo a alguém. Os padrões de beleza ideal são outros. Lembram quando disseram que o Neymar era negro e ele negou? Como assim negro? Ninguém quer ser negro.

Vou contar uma coisa pra vocês. Meu pai é Coronel, e minha identidade é militar. Quando fui tirá-la, o soldado que preenchia meus dados não perguntou a minha cor. Só preencheu: “alva”. E deixa eu te dizer: se tem uma coisa que eu não sou é alva. Então, meu pai conclui que o soldado estava querendo fazer um agrado. Não queria me ofender e colocar “negra” na identidade.

Então eu acho assim: se você chama um negro de macaco, não é a mesma coisa que chamar uma pessoa alta e branca de girafa. Pq você não está lidando com animaizinhos do zoológico aqui. Está recontando uma história de séculos. E quando alguém diz que é “100% negro”, e tem orgulho disso, acredite, essa pessoa passou por todo um processo interno de aceitação. Bater no peito e dizer que é negro, quando você foi criado assistindo a Xuxa, tem a Gisele Bundchen como modelo de beleza e não tem sequer um chefe que seja negro no trabalho (quantos CEOs negros você já viu?), não é uma coisa tão simples. E eu acho que esse orgulho negro, isso de colocar a camisa e bater no peito mesmo, é necessário. Acho que o orgulho negro é necessário sim, e não pode ser apontado como uma forma de “racismo contra os brancos” – pra mim esse argumento chega a ser imoral. Acho que vai haver um dia em que não será mais preciso, mas olha, Danilo, esse dia não é hoje. Então não me venha com esse papo, por favor.

.

Essa é a minha opinião. E a de vocês, qual é?

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 1,123 other followers