Medo de um armário bipolar

Eu sempre tive medo de ter um armário bipolar, e sempre lutei contra isso. E quando digo bipolar, quero dizer algo como “sério e frio de segunda-a-sexta, alegre e divertido no fim de semana”. Entendem o que eu digo?

Eu nunca tinha trabalhado em uma empresa grande. No máximo em um estágio que exigia uma roupa mais arrumadinha, e olhe lá. Uma calça social, sapato fechado. Hoje trabalho numa empresa grande, mas tem gente de todo jeito aqui: o pessoal da informática vem de blusa social, mas calça jeans, a galera da criação até usa tênis, as prestadoras de serviço arriscam vestidos mas, de uma forma geral, a grande maioria das mulheres não sai do básico: calça + blusa social+sapatilha.

Daí que eu tenho medo de mesmice. Daí que blusas sociais sempre parecem estufar meu peito. Daí que sinto um calor incrível e tenho coxas que não permitem qualquer coisa – qualquer calça.

Semana passada eu tive uma avaliação, e um dos meus pontos a desenvolver foi “ser levada mais à sério”. Ouvi isso vestindo um vestidinho branquinho, listrado, cheio de babadinhos e joaninhas. Opa, então não me levam à sério? E veio a mania de perseguição.

Semana passada fui a São Paulo numa reunião com fornecedores, e não tive dúvidas: nada de vestidos. Nada de saias. Coloquei a calça social cinza e uma blusinha mais arrumada e fui (é o look da foto abaixo). E passei o dia pensando e que foi uma boa escolha mas… conseguiria eu me vestir desse jeito pra sempre?

.

Até que ponto minhas roupas podem me dar (ou me tirar) credibilidade?

Advertisements

29 thoughts on “Medo de um armário bipolar

  1. Fernnanah says:

    Sei bem o que é isso, xará! Fui gerente de um instituto de beleza e eu era “obrigada” pelo código social a ir arrumadinha tanto no chegar, no ficar e no sair da empresa.

    Não preciso nem dizer como odiava aquilo.

    Hoje não. Prefiro meu estilo dia-a-dia mesmo, onde quem cria e determina o meu código social sou eu mesma. Gosto de combinar cores e estampas ao meu modo, assim como os calçados: dias de havainas, dias de sapato alto.

    Beijos e não se encuque com o que avaliam de você, não.

    Seja apenas competente.

    • Fernnanah says:

      Olá, Fernanda, tudo bem? Nem te conheço, mas tenho apresentado seu blog para algumas amigas e elas também estão adorando.

      Hoje passei numa loja chamada MADAMA MS no Centro, precisamente na Rua Uruguaiana e tem umas roupas maravilhosas, bem no estilo que a empresa que você trabalha anda te exigindo .

      Além de serem lindas, tem umas coisas muito legais e criativas, bem sua cara. Ví um vestido lá na promoção, sua cara, bem parecido com aquele jeans que você gosta, só que ele tem um zíper em forma de uma flor. Se não em engano custa R$ 59,00.

      Beijos e boa sorte!

  2. michelle says:

    As vezes penso nisso, a roupa transmite a imagem que queremos passar. Não trabalho em nenhuma empresa, faço meus acessórios no meu atelier em casa mesmo, então normalmente passo o dia de havaianas e roupa fresca, mas quando vou vender para algum cliente ou mesmo na feira em que trabalho proucuro estar “alinhada” como diría a minha avó,hahaha!Mas não me sinto eu mesma dentro de uma calça social, por isso a única que eu tinha doei.
    Você está muito linda no primeiro look, perfeito para trabalhar mas o segundo é você, alegre descontraida e cheia de vida.
    Beijos!!!!

  3. Fezinha says:

    Ah Fê….isso é sério mesmo. Assuntinho chato, que já rendeu muita conversa de corredor nos lugares onde trabalhei. Só acho errado uma coisa: se a empresa não tem dress code, não acho que isso seja motivo de avaliação. Mas ao mesmo tempo, imagino o seu jeitão engraçado num vestido de joaninhas. Vc deve ser a pessoa mais legal da firrrrrma, o que é bem visto pelos colegas mas não tanto pelos gestores. Eu tenho dress code…não posso usar jeans nem na sexta-feira. O que fiz? Comprei meias coloridas, blusas com detalhes de laços e rendas, camisetas polo ajustadas…tudo isso dá prá usar de calça/saia preta, bege ou cinza. Nem toda calça social fica bem em mim tb. Hj pago mais caro e so compro na Zara (são larguinhas, de tecido encorpado, bolso faca e cintura no lugar). Não posto muito looks de trabalho ,mas vou começar a fazer. Tem meninas que perguntam, e talvez possamos nos ajudar fazendo isso. Vamos tentar?

    Beijo!

  4. Princess Deluxxe says:

    Nossa, Fê! Penso nisso o tempo todo, rsrssss
    Mas eu sou esculachada. POsso usar calça social com All Star num dia (apesar de conhecer e conviver com pessoas q odeiam esse tipo de combinação) e no outro sair de vestido comprido com casaco colorido.
    Experimenta ser séria numa peça. Ou se for séria em várias peças, escolhe uma pra ser divertida – nem q seja meias verdes num look cinza total, rsrsrsss

    bjosss

  5. Mirian Amral says:

    Não quero nem imaginar o quanto deve ser complicada essa situação.
    Eu trabalho de jaleco e se tem uma vantagem nisso é que ninguém vai reparar no que estou usando por baixo.
    Bjokas.

  6. aninha says:

    Esse assunto é complicado Fê…e com certeza somos avaliadas pelo que vestimos. Infelizmente certas coisas tiram nossa credibilidade.
    Eu por exemplo me visto como gosto só depois das 18 horas rsrsrs.

  7. Geovana says:

    Fê, isso é um problema sério… porque tem profissão que não tem como fungir de um dress code formal sob pena de não ser levado a sério. Isso é fato. E falo isso por experiência própria, sou bacharel em direito, recém formada, e estou me tornando um advogada, se eu aparecer para trabalhar com um vestido colorido, ou com uma estampa fofa de joaninhas, corro o risco de ficar sem clientes!! E porque isso?? simplesmente porque o povo espera uma certa atitude de um profissional desse ramo. Então a linha é bem demarcada… vc pode se vestir arrumadinha, mais informal enquanto ainda é estudante e estagiária, depois disso tem q se enquadrar no dress code formal. Bom eu até não odeio a formalidade, gosto de roupas sociais, o problema é que com esse regulamento se vestir encontra uma série de limitações para ousar e abusar das cores, porque procura-se a elegância e estar bem vestida e não uma fashionista. Complicado né, mas o que nós salva de uma aparente monotonia é a possibilidade temos de imprimir nossos gostos pessoais em tudo, nesse sentido que aos poucos estou montando um guarda roupa social mas com a minha cara 😀 Desse modo, peças mais formais que eu uso para trablhar, cabem perfeitamente como outras produções mais despojadas nos momentos de folga.

  8. Marcela says:

    As suas roupas não tiram sua credibilidade, ms não posso negar que isso somada a algumas atitudes fazem as pessoas formarem uma imagem de você que pode fugir da realidade. Afinal eficiência não tem nada a ver com vestimenta.
    Eu trabalho com comércio exterior e as poucas garotas que trabalham na área se vestem como homens: calça jenas, tênis grotescos e uma camiseta qualquer. Eu quando ia pagar armazenagens ou em outros escritórios da área chocava as pessoas, afinal mesmo de jeans eu sempre estou de salto, uma blusa mais elaborada, enfim, as pessoas acham que eu sou uma dondoca, mas quando de vêem trabalhando acabam achando que eu sou uma trava. Afinal quem pode ser tão bonitinha e arrumada e xingar, bater de frente e resolver problemas sem chorar???

    Eu não sou boa pra dar opiniões obre roupas, meu estilo é bem clássico, a única coisa colorida que uso no dia dia pra trabalhar é minha mochila de oncinha da Andarella (um escândalo), ams acho que não sendo curto/apertado/transparente/decotado, não faz mal um pouco de cor.

    bju no ♥

  9. Ana Cristina says:

    Fê,
    infelizmente isso é complicadíssimo.
    Concordo com você que todo mundo tem que imprimir um estilo pessoal, mas também concordo com o seu chefe quando ele reclama do vestido de joaninha, não que eu pessoalmente ache ruim, mas uma vez uma chefe minha me deu uma “chamada” destas, ela me disse que quando você trabalha para uma empresa, vc representa esta empresa, ou seja você é a cara dela lá fora, então, se a empresa é séria, austera, vc infelizmente terá que ser deste jeito, trabalhei em empresa de dermocosméticos e não podia de jeito nenhum aparecer com espinhas, olheiras, rosto oleoso, bronzeado, suvaco de fora….num calor de 43 graus, além da vestimenta adequada….eu não podia andar tinha que flutuar rsrsrsrs! Uma vez percebi isso muito claramente, fui a um fornecedor conhecer o seu laboratório e novas tecnologias e vou te dizer não prestei atenção em NADA pq não parava de olhar para os piercings do rapaz que parecia uma almofada de alfinetes, imaginei a dor, se aquilo inflamava, por que tantos e tive uma sensação de agressividade sabe? fora que aquele monte poderia infeccionar e contaminar as matérias primas….ou seja como fica a qualidade do produto?
    Do mesmo jeito minha amiga fez uma entrevista para uma grande marca de roupas bem carioca e foi toda arrumadinha, socialzinha, escovada e tals, chegou lá se sentiu uma ET, pq TODOS que a entrevistaram estavam de vestidinhos florais, rasteirinhas, cabelos naturais e ela estava super estranha, foi contratada pela competência mas recebeu um toque para dar uma relaxada no visual (ou seja levar todas as joaninhas para o trabalho).
    Fala sério o que adianta um médico de branco? acho ridículoooooooo ele precisa sim de uma roupa limpa por baixo de um jaleco, esse sim, branco, limpíssimo e impecável e para ser usado APENAS dentro do consultório ou hospital e não em tudo que é lugar na rua e hoje em dia o que acontece? eles levam todas as contaminaçãoes da rua para o paciente e vice e versa…mas é chique andar de branco e mostrar que é médico né, dá status?
    Enfim a competência é TUDO é primordial acho que temos que ser muito bons em tudo o que fazemos, mas infelizmente enquanto empregados temos que literalmente vestir a camisa da empresa, não tem jeito!
    Bjus
    Ana

  10. Deveriaestarestudando says:

    Linduca, eu advoguei em um mega escritório, atendia 6 clientes todos os dias. Sempre tive cara de estagiária, mas minha voz de séria mudava tudo. Já cheguei a trabalhar de Tailler e camiseta do Motorhead por baixo. Depois que passei no concurso público, consegui virar chefe usando camiseta do AC/DC.
    Duvido que tenha algum FDP daqui do trampo que tenha a a coragem de abrir a boca para dizer que me visto mal para trabalhar. Trabalho em um ambiente formal e e uso o que fotografo no blog, na parede clarinha com o gato…todas roupas de trabalho.
    Acho que vc se veste muito bem. Talvez seja esse seu jeitinho engraçado e fofo que cause a impressão de que vc deve ser mais séria (que saco, heim?).
    Não mude.
    bjks. Mel

  11. Lual says:

    olha… é triste, mas é um problema sério mesmo. eu trabalhava em um lugar que era extremamente conservador. só andava de bico fino, calça social e camisa social. tinha uniforme e dress code para quem não queria usar o uniforme… até as cores e tatuagens eram limitadas. bom, vou a qualquer entrevista de emprego dessa mesma forma meio socialzinha. então com certeza é pela influência de ser levada a sério mesmo. hoje trabalho numa empresa pequeninha (3 funcionários) e não recebemos visitas de clientes. então é uma maravilha! mas é isso aí. é no carnaval que nós tiramos as fantasias, não é mesmo? xerinho! pode usar a foto sim!

  12. Carolina says:

    Ai Fe, complicado, né? Eu sempre trabalhei em agências de publicidade onde não existe dress code e, teoricamente, podemos nos vestir de um jeito bem informal, mas, como eu trabalho no atendimento e nunca se sabe quando vai ter reunião, preciso estar sempre “preparada”.

    Eu sempre fui fã de looks sociais, mas sempre coloco a minha “marca”. Uso meias, lenços, colares, sapatos e coletes, exatamente para não ficar com aquela cara de “escritório” todo dia.

    Mas existem “firrrrmas” que exigem código de vestimenta e outra, mesmo não tendo, fazem esse tipo de exigência de uma forma não verbal, nos olhares, nas avaliações e tal. Acho complicado querer mudar esse tipo de coisa em empresas pq sempre existou e sempre vai existir, mas podemos tentar fazer nossas mini-revoluções pessoais e imprimir sim a nossa forma de vestir e não ser censurado por isso. Afinal, as oportunidades devem ser iguais para todos!

    Acho que poderia sim rolar um post colaborativo, vai ser super divertido!

    Bjossss

  13. Ludmila says:

    Poisé! O look é determinante mesmo!! Às vezes até nosso cabelón (não-chapado) e encarado como “informal demais”. Mas usar (ousar) uma roupinha mais séria pode ter seu charme, depende dos acessórios que vão dar um toque de personalidade.
    E em contrapartida, às vezes uma roupa muito “estilosa” denota uma pessoa com personalidade vacilante, carente de auto-afirmação.
    Beijos
    Ansiosa pelo Cabelón 2

  14. Marcela says:

    Pois é, Geovana. A questão é: como emprestar estilo às roupas mais “quadradas”? Acho que é um assunto bacana para um post colaborativo. O que vocês acham?

    Marcela diz: Apoiadíssima!! É isso que eu faço todo dia…

  15. Aline says:

    Hehe, mesmo tentando criar um visual mais “sério”, você arrasou! Adorei os dois. Mas não tem nada de errado com o seu visual, você deve ter um jeito descontraído e por isso o avaliador mencionou essa seriedade. Pare com a mania de perseguição (como vc mesma disse). Se o seu jeito de se vestir faz parte da sua personalidade, não a mutile sem necessidade. Acho que existem outras maneiras de você conseguir ser levada a sério, sem precisar perder sua identidade.

    Mas seu caso é engraçado… há muito tempo eu sempre tive o desejo de trabalhar em grandes empresas que exigissem uma vestimenta mais séria, tipo tailler, escarpins, calças sociais, etc, mas eu nunca tive essa “sorte”. Trabalho em escola de educação infantil e por isso preciso usar a roupa mais básica e confortável possível por causa da correria atrás dos pequenos (sem contar por causa dos pequenos acidentes que eles podem causar na gente, como baba e coisas piores… rsrs). Hoje penso que tive sorte, pois eu sou mais básica que papel branco e LOUCA por All Star e não vivo sem eles dos pés. Porém, meu problema é que esse meu visual não me ajuda muito a conseguir um pouco mais de respeito, já que tenho 22 com cara de 15… Daí com o tempo fui percebendo que não adiantava me vestir como uma mulher de 30 se minhas atitudes não mudassem. Hoje em dia procuro ter uma postura mais séria e fechada, senão iam me tratar como estagiária para sempre! Rsrsrsrs!!

    Beijosss

  16. Ana Carolina says:

    Poxa Fê!
    Esse assunto sempre é atual. É estranho se vc pensar que a maioria das empresas não exigem um vestuário definido. Mas sabe que prefiro assim. Se uma “lei” estabelecida vc fica muito perdida e até acertar leva muitos puxões de orelha.
    Acho que a sua atitude profissional vale muito mais que qualquer roupa.
    Não apoio essa separação entre roupas até porque moramos no RJ e aqui o calor mata qualquer um. Imagina estar bem composta sob um sol de 40 graus?
    Acho que a solução são os vestidos mesmo. Ter um modelo mais sério ajuda.
    Mas acho que não devemos nos abater com críticas. Se vc sabe o que está fazendo no trabalho sinta-se segura.
    Beijo

  17. emilia says:

    super me identifico com esse post porque eu sou advogada e professora numa faculdade de direito. quando eu tinha 23 anos e era recém-formada me vestia mais ou menos como uma senhora de 50 anos. uó. nem um decote, nada. só terninhos, blusa ‘social’, decote carnoa, bregaaaaaaa, esse uniforme horroroso (na minha opinião) de empresa. (eca, e quando tem aquelas blusas sociais com canutilhos, brilhinhos? ecaaaaaa). bom, aos poucos fui mudando meu jeito de vestir. comecei a acrescentar cores, um decotinho não mto pronunciado, uma sainha mais curta, priorizando tecidos naturais, etc. Mas não posso exagerar. E infelizmente eu acho que o jeito de vestir influencia um pouco. Lógico que vc pode se vestir como quiser e o que importa é sua atitude e o que sai da sua boca, né? Mas eu calculo sempre bem que impressão quero passar antes de sair de casa para trabalhar (por ex, para uma reunião com cliente, para uma audiência, etc) então, minha dica é assim, pelo que vejo do teu jeito de vestir: Continua com as saias, mas tipo não vai com a camiseta do river phoenix (to dando um exemplo, tá?). Bota um saltinho em vez de sapatilha, em vez de oxford, em vez de tênis. Eu acho que pequenos detalhes já dão uma mudada. Por exemplo, jamais uso esmalte azul na faculdade. acho que vão me olhar torto. Nunca uso babados (só dos mto discretos). Nunca uso regata, ou tomara que caia (jamais!!!), só se for uma regata ‘social’. Comprei um vestido lindo de morrer na Lelis Blanc, daria total pra usar na faculdade, mas tem um babado na beira, já não uso. Sei lá, posso estar sendo conservadora. mas acho que funciona. Não precisa usar calça social e blusa social, essa coisa jeca todo dia, mas dá uma mudada nos detalhes. Onde tem mta roupa charmosa e boa pra trabalhar é na Luigi Bertolli. Nada brega, um pouco ‘social’, mas sempre com estilo. Boa sorte!!!

  18. emilia says:

    UM PS: eu adoro o seu estilo! usaria praticamente tudo que vc usa! e acho a maior parte dos looks que vc posta do trabalho bastante adequados, nada exagerados não (fui olhar depois) . enfim, como sou muito auto-referente só consigo opinar a partir do que eu já fiz… sei que o RJ é muito mais quente que SP e que tb isso já faz com que o dress code possa ser um pouco mais relaxado que aqui. ah, enfim, vc postou,eu me dei ao direito de opinar. 🙂 bjs

  19. Vone Flor says:

    Oi Fe,
    Acho que esse lançe das roupas seriam mesmo ,alago parecido com dupla personalidade, ou algo do tipo.
    Eu também trabalho de social e odeio não poder usar coisas coloridas, no máximo as unhas ou algum acessório e aas vezes penso esse visual não é da Vone Flor (adoro flores e estampas) é da Ivone, uma moça séria q tem q usar looks sobrios para não chocar “os empresários” conservádores…
    Muiiiiito chato!!
    Mas na boa, no fim de semana, eu posso ousar muito mais e ser feliz do jeito que eu quiser vestir!!!

    Beijos & Tudo de Bom!
    Bom Fim de Semana!

    *=)

  20. Annina Barbosa says:

    Ai, Fê, que chato isso, né?

    Pô, e a gente passa a maior parte do dia no trabalho!

    Não pode nem vestir o que quer?

    Poxa, poxa…

    Ó, super topo irmos conferir a coleção nova da Renner! Tenho que agarrar meu casado de pied-de-poule!
    Hoje passei por lá e já vi algumas coisas, sabe?

    Mas é impressionante: eu nunca consigo encontrar o que eu vejo nos blogs lá!

    Temos que ir numa grandona, né?

    Vota em qual?

    Beijoooos, Fê!

  21. Aline Aimee says:

    Eu dei mt sorte, porque os 4 empregos que tive na vida foram públicos e eu nunca me vesti de forma normal ou convencional na vida!
    Já fui trabalhar roqueira, hiponga, alternativa, retrô, com aqueles colares doidos que vc sabe que eu adoro! Sempre tem gente que me olha torto, mas eu cago e ando, literalmente!
    Isso nunca afetou as minhas avaliações! Inclusive, já fui chefe e hoje sou substituta!
    Eu acho que vc se veste hiper bem! Não sei se a questão de ser ou não levada a sério tem a ver com suas roupas. Talvez seja seu jeitinho divertido e descontraído, mas mesmo se for isso é uma merda, né?
    Não vejo razão pra vc mudar de estilo!
    Sinceramente!

    Beijo, querida!
    E vamos sim almoçar!

  22. Márcia says:

    Olá Fernanda!
    Descobri o seu blog a pouco e estu adorando!
    Essa história de ter ou perder credibilidade por conta das do nosso guarda roupa é triste! Como trabalho na área de comunicação, em geral, o ambiente é um pouco mais despojado e dá alguma liberdade na hora de se vestir, mas vira e mexa pinta a dúvida. Será que não estou exagerando? Ou, será que não estou largada demais?
    Mas uma coisa é certa: não dá para medir a competência de um profissional pelas roupas que ele veste. Além de que criatividade no trabalho pode começar pela escolha da roupa do dia. Porque não? Que venham os vestidos listrados, de bolinhas, com cerejas e joaninhas! Tristes daqueles que se prendem em seus paletós marrons e seus terninhos quadrados.
    Beijo
    PS.: Vou linkar no meu blog.

  23. Lilian says:

    Fê, pior é que isso conta muuuito mesmo…. não só pra mulheres, mas é que pra homem é mais fácil, né?
    Mas não é por isso que você deve abandonar as saias e vestidos, só usa uns mais sóbrios que já resolve. Eu trabalho num lugar mega formal, onde os homens vestem terno e gravata todo dia e raramente uso calça. Investi em saias sem ser de malha, que já dá um super ar profissional, com comprimento no joelho ou dois dedos acima e cores neutras. Daí é só variar as blusas (prestando atenção nos decotes, lógico), sendo que quando eu quero por uma coisas mais basicona tipo uma camiseta eu complemento com colar ou lenço e blz. Ah e deixo as unhas roxas, liás, azuis e etc para o fim de semana.

  24. Camis says:

    Eu s-e-m-p-r-e sou subestimada por que me visto informalmente. (a cara de criança ajuda também). Mas depois de uns anos (tenho 5 agora) o povo foi se acostumando. Já sou a “Camila, aquela colorida da importação de navios estrangeiros” Hahahahaha

    Pelo menos o povo não esquece né?

    Beeeeeeeeeeeijos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s