Ousadia mode on

[Pessoal, obrigada pela super ajuda no post de ontem, tá? Fiquei lisonjeada, emocionada, e estou respondendo cada um dos comentários, aqui mesmo no blog. Obrigada de novo!]

Outro dia tava no shopping com algumas amigas blogueiras quando vimos uma menina toda vestida como um personagem japonês. Ela parecia uma daquelas meninas que sempre vemos nas fotos do bairro de Harajuku, em Tóquio, em que todos parecem ter saído de um mangá. O fato é que a menina que vimos no shopping tinha direito a tudo: vestido rodado, meia calça, sapatinho com laços, arquinho. E o grupo de amigas era bem peculiar: uma toda dark, uma coisa meio pirata, e a outra toda navy (♥) e basiquinha.

.

.

Na hora achei engraçado, pitoresco, comentei e fui lá. Tirei uma foto da menina. Pq ela me fez pensar um monte de coisas.

Eu sou super a favor da ousadia. Sou a favor de separar uma roupa como se separaria o figurino de um personagem: pensando em detalhes e mensagens que queremos transmitir. Nisso, se incluem um monte de valores como feminilidade, fragilidade, poder, sexualidade, leveza. Se vestir é uma forma de comunicar uma série de coisas, como se estivéssemos carregando várias plaquinhas no nosso corpo, dizendo coisas como “sou séria”, “sou feminina”, “olha como estou magra!”, etc etc etc. E acho que, quando ousamos experimentar algo diferente, transmitimos uma mensagem do tipo “eu não tenho medo de tentar”.

Digo isso porque quando vi a menina toda vestidinha de mangá, pensei que, na idade dela (ela devia ter menos de 18 anos), eu não tinha coragem de arriscar tanto. Não digo sair fantasiada e tal, mas experimentar novas proporções, novas cores, penteados… Sabe aquela coisa de “fica lindo nela, mas em mim sei que vai ficar horrível, por isso não tento?”. Era aquele medo de ser diferente demais. Isso porque eu acho que, para experimentar conteúdos novos em um look, a gente tem que ter autoconfiança, meninas. Senão a gente esbarra em medinhos como “será que eu vou ficar feia?”, “será que eu vou parecer (mais) gordinha?”, “será que vão me achar infantil demais?”. Mas temos que tentar apesar dos medos.

Por isso, gente, se já temos uma série de limitações de segunda-a-sexta (qualquer ambiente de trabalho tem as suas regras, né), vamos aproveitar o fim de semana para tentar coisas novas? Novos comprimentos (pode ser aquele blusão usado como vestido, colocando as pernocas pra jogo!); um monte de sobreposições loucas (vários colares, várias echarpes, olha a Vanessa Rozan!); um vestidón cheio de volume, uma saia rodada (olha que linda essa menina de vestido e botinhas! Tô pensando em colocar minha saia de tule por debaixo de um vestido para criar esse voluminho)!

.

clica na foto que ela aumenta! Tá cheia de detalhes!

.

Você também pode tentar sair com um turbante ou com um lenço no cabelo, ou um penteado bem bacana, daqueles que a gente tem preguiça de fazer na correria do fim de semana, ou mesmo criar um look com uma composição diferente (quem disse que se uma peça é larga, a outra tem que ser justinha? e se uma é estampada, a outra tem que ser lisa? quem disse que o sapato tem que combinar com o cinto? ou que vestido não combina com tênis ou coturno?). E pronto: você arrisca, brinca com as formas e (porque não) aprende e se conhecer melhor (e não tô falando só do corpo!).

.

;

Tem um feriado aí… tá pronta pra ousar?

15 thoughts on “Ousadia mode on

  1. Mineira says:

    Eu já sou o contrário… meu problema não era com as ousadias.. e sim com meu peso… gordinhas sofrem.. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    mas sempre fui a ousada, pro lá peruete, tudo da hello kitty, esmalte de onça há 5 anos atras.. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk adorova fazer A DIFERENTE. tem gente que não gosta. eu gosto e ponto final…

    eu aderi ao turbante assim como da foto e tô me sentindo A MODERNA A OUSADA.

    agora… coisas que não consigo. trava total headband e calça saruel. não consigo. mas headband usei numa festa que me vesti meio de hippie e gostei do resultado… vou tentar de novo..

    falou certinho! o negócio é experimentar. não gostou? é só tirar… roupa não é como tatuagem que precisa de laser pra sair não. kkkkkkkkkkkkkkkk

    http://www.burguesinhadesalariominimo.com.br

  2. Emanuella Maria says:

    ah menina eu sempre adorei ser ousada e tentar ser diferente. É bom ser unica de vez em quando. O importante na verdade é realizar o quão incrível você é. É por isso que é tão importante expressar-se tanto quanto vc pode – se você não fizer isso, o mundo é que vai perder.
    Eu escrevi la no blog um post super bacana sobre Como ser confidente e trata um pouco disso. Dá uma passada por lá

    http://ambientevistoriado.com/br/como-ser-confidente/

  3. Paula Yuri says:

    Fernandinha,

    Adorei o post. Realmente aquelas meninas esbajam ousadia, se eu fosse escolher um dos looks, acho que ficava com a meio dark.

    Quando eu era mais jovem leia-se a idade dos 13 até os 15, ousava mais nos looks mesmo sem cash p/ bancar, acho fiquei velha e medrosa.

    Falando sobre moda, quando morei no Japão por 4 anos muita coisa me chocava legal, umas das coisas o fato da mulherada usar maquiagem na piscina, outra de andarem todas cobertas no verão. E no inverno botar as pernocas de fora.

    Lá existe aquela famosa ditadura da brancura (credo é até feio de escrever…. anyway), tem uma série de produtos que garantem uma pela quase fantásmagórica de tão branca. Se por um lado alguns querem virar fantasma, outros abusam do bronzeamento artificial, principalmente as meninas de Harajuko. Na minha opinião japonês é um povo de extremos, ou é muito vaidoso ou é esculhambado geral.

    Com toda esta influência dos japoneses, acabei absorvendo apenas um gosto por chapéus, o que causa um certo preconceito no povo quando saio de casa com eles. Fico escutando coisas como: segura peão, ou então tá de moto moça. Mas não me aborreço não se tiver um sol a pino, não tô nem aí, uso os meus chapéus mesmo.

    Um dia quero ser mais ousada, e até tentar fazer um turbante que nem vc usou. Que ficou muito lindo!!!

    Bjkas e desculpe pelo livro que eu escrevi.

  4. Fernanda M says:

    Oi, Fê. Tbm sempre tive medo. Por isso, agora que tenho uma filha, a Giovanna, deixo ela usar tudo o que quiser. Ela tem cinco anos, então não entra nada piricreyça style, mas a nega ousa. E como ousa. Usa saia da fantasia de bailarina do carnaval com legging e coturno (adoro essa), usa vestido de festa junina em, sei lá, outubro, usa casaquinho listrado com short de bolinha… O pai dela fica doido, hahaha, mas ela nunca sai básica. O que me espanta é o senso pra paleta de cores que ela tem. Acho que vou te mandar foto. Até aquela trança de lado que vc fez, lembra? Tive que aprender a fazer.
    Bjos

  5. Alini Raquel says:

    Concordo com a Mari, eu deixei de ousar por medo, medo dos comentários…sabe aquele post seu sobre os “meninos e o saco de batata” agora imagina isso em uma cidade pequena…é o fim…Tem que ter muita auto estima e dinheiro para pagar terapia (coisa que não tenho)…kkkkkkkkkkk…
    Mas falando sério, acho super bacana esse post, eu estou aprendendo a ousar aos poucos de novo, conhecendo melhor o meu estilo, minha personalidade.
    Bom final de semana…e não deixa a gente ser post…ok

  6. Ashen Lady says:

    “fica lindo nela, mas em mim sei que vai ficar horrível, por isso não tento?”
    Nossa, quantas vezes a gente fala isso hein? Puro medo de ousar ser diferente.

  7. Giselle says:

    E o contrário vale? Ousei TANTO na adolescência, que hoje em dia estou bem ficando um pouco mais apagadinha no meio da multidão mesmo, hahahhaha.

  8. Garota de Bossa says:

    Olha, adorei!! concordo com tudo que você disse! a gente tem que parar de olhar uma pra outra e achar tudo fora do comum! nós temos que nos olhar e dizer let’s rock ahahahahahahaha beijocas e seu blog é lindo

  9. Ana Carolina says:

    Nunca tive uma fase ousada! Mas às vezes quando ponho uma meia calça de poás com vestido ou, o meu favorito, saia rosa, meia de póas e camisa listrada TODO mundo olha. No geral, só o meu óculos de sol (rayban com armação AZUL) já chama a atenção, mas nem me incomodo. Me acho super estilosa!!!!

  10. Luice says:

    Sempre fui considerada diferente pelo modo de me vestir gosto de misturar cores detesto essa coisa monocromatica gosto de ousar o igual me enjoa adoro novos penteados agora msm quero apostar em batons coloridos minha amiga usou um azul e ficou um ‘lusho’. Desde o momento que a pessoa olhe no espelho e se encontre vale td e que se dane os olhares alheios.

  11. vOny! says:

    oiiiiiiiii!!!!!!!!! Bem bem nunca comentei aqui no seu Blog, eu te encontrei por um vídeo no you tube onde você ensina a fazer uma traça no cabelo na parte da frente, em fim sem muitas enrolações eu adoro o Blog as suas dicas são de mais você é simples, e muito fofa, sobre a enquete anterior, eu adoro tudo e todas as dicas você deve continuar nesse segmento, esse post me chamou a atenção pois adoroo quem ousa e também amo ousar, isso faz bem não só para os nossos olhos ao nos vermos no espelho, quanto para uma evolução ousando na roupa é uma atitude que ja pode definir a sua ousadia na vida, ou pelo menos podemos considerar como um primeiro passo, e concordo plenamente com o que você disse, ” OLHA COMO SOU SÉRIA, OLHA COMO SOU FEMININA” ETC… Em fim acho que devemos ousar, sempre e sim sem medo de errar!!!!! Aproveitando a deixa quero recomendar o Blog de um GRANDE AMIGA minha a Nina, ela é uma Gyaru, esse é um sub estilo japonês que ele segue acredito que você vai gostar do Blog afinal ela ousa sempre nas roupas nos acessórios em tudo e é sempre muito bem sucedida……….

    http://whataboutnina.blogspot.com/

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s