Pelo Combate

Eu sempre morei no mesmo bairro, desde que nasci. Morava em um apartamento, depois me mudei para uma casa maior, só que bem próxima da subida para a favela (“comunidade” é um eufemismo que me cansa). Apesar disso, passei minha infância andando de bicicleta na rua, pulando amarelinha com as vizinhas e brincando de Barbie na varanda. Na minha adolescência continuei chegando tarde (ou cedo, isso é relativo!), andando de ônibus, essas coisas. Mesmo que, com o tempo, o bairro tenha ficado mais perigoso, os tiroteios mais constantes. De vez em quando aparece gente armada na rua.

Como o ser humano é altamente adaptável, eu continuei com a minha vida normal. Mesmo que meus amigos e meu namorado considerem o meu bairro perigoso, eu ainda vejo o local como uma cidade pequena onde passei a minha infância numa rua cheia de casas. Lá em casa tem piada quando tem tiro (“são fogos! Viva São João!”), e quando as blitzes param todos os carros (“segurança particular para o condomínio“), mas isso é pq na minha casa tem piada pra tudo. Porque o fato é que a situação tá muito preta, e não é só aqui.

Desde o último final de semana, mais de 70 carros foram queimados na cidade. Os helicópteros (da tv e da polícia) rondam o Rio todo, tanto perto de casa quanto no Centro, onde trabalho. O cenário, para quem está assitindo de fora (tanto vocês leitoras de vários estados do Brasil, como os estrangeiros vendo o noticiário internacional) é de guerra civil, mas a verdade é que vivemos em combate há muito tempo. Digo isso pq não é normal viver em um lugar onde os bandidos ditam a regra.

O fato é que agora a coisa toda está generalizada. E, claro, tem carro queimado na Zona Sul. E tem muito boato também – pq eu não acredito em toda essa organização dos bandidos, realmente acho que eles tiveram uma queda no faturamento e estão mais é estrondando, tocando um rebu, sabe? E fugindo como ratos quando o bicho pega. O que eu quero dizer é que, para quem mora na favela, o terror existe desde sempre. E se agora os bandidos querem pressionar a opinião pública, querem usar de terrorismo para aparecer no jornal, a polícia tem que responder. A gente não sabe se isso tudo vai resultar numa diminuição do tráfico a longo prazo (provavelmente não), mas parado não dá pra ficar, sabe? Então sou a favor dessa política de enfrentamento.

19 thoughts on “Pelo Combate

  1. Ana Carolina says:

    Oi Fê,
    Eu moro no lugar onde o enfrentamento está ocorrendo. No “olho do furacão”. COncordo com vc, estava mais do que na hora de algo ser feito, e diga-se, está sendo bem feito.
    Só deixo aqui uma preocupação: Essa ser uma política de Governo e não de estado. Que quando sair este governo, td volte a ser como antes ou pior.
    Espero como sempre “Dias melhores” e mais felizes para todos, seja da zona sul ou norte. Q paz para quem ama o RJ, como a gente.
    Um beijo enorme para vc, e todos estejamos bem o suficiente para vermos o sol brilhando como sempre no Rio.

  2. Luci Marçal says:

    Realmente estamos vivendo um momento histórico em nossa cidade.
    Espero que tudo isso sirva pra uma melhora!

    Se cuida Fê, eu fico super preocupada com seus horários de trabalho…

    um bjim

  3. marcela says:

    BOPE neles!!!!

    Nucna vi a população do Rio apoiar tanto uma ação de Segurança Pública, tava mais do que na hroa do povo valorizar o trabalho que esse povo da polícia faz. principalmente quando fazem de um jeito tão organizado como estão fazendo agora.

    Palmas para a ´Polícia do Rio de Janeiro, as forças armadas e a todo cidadão que denuncia e diz “Chega!” pro domínio do tráfico.

    Cansei.

  4. Ana Cristina says:

    A gente que é carioca sabe que esta tragédia acontece sempre, graças a deus estamos fora das favelas mas quem está lá à mercê da lei da bandidagem mais diretamente é que sofre e a gente sabe disso!
    Só penso numa coisa…logo após um filme que detona a PM, mostra sua realidade que nós sabemos muito bem que funciona bem daquele jeitinho…que diz claramente: “A Polícia Militar do Rio tem que acabar”, surge um movimento de bandidos onde a polícia corre, acaba com os caras (que SEMPRE estiveram ali calmamente e eles faziam “vista grossa”)e passam a ser os heróis da população…acho coincidência demais não? De repente a TV enaltece políciais como bravos,heróis, cheios de candura e ideais, hoje cheguei a ouvir que além de termos heróis no RJ temos uma dívida eterna com o governador Sergio Cabral, pois ele está tomando uma atitude em conjunto com a polícia bem firme e efetiva, atitute essa diga-se de passagem, que é nada mais nada menos do que a obrigação deles, afinal o estado deve manter a segurança, proteção e integridade do cidadão, não é mesmo? Acho muuuuuita coincidência de fatos….mas sou cética né…já vi muita coisa suja nesta vida….posso estar com o coração duro, não sei, mas continuo desconfiando….
    Ah tem mais, não me considero em dívida nenhuma com o Sérgio Cabral, afinal uma hora ele tinha que começar a trabalhar né?
    beijinhos Fê e se cuida!
    Ah não tô reclamando do BOPE não tá? reclamo da PM e da “segurança pública” na figura do secretário e governador!
    Eu ♥ o BOPE!

  5. Sonia says:

    EXATAMENTE como eu penso! Adorei o post!
    Sou carioca e estou totalmente de apoio com o que está acontecendo, infelizmente se não for assim não terá nunca fim…

  6. Camila Cruz says:

    Quando a polícia trabalha certo, é necessário valorizar a ação, dando o devido mérito. torço por dias melhores para o Rio, ou melhor, para o nosso Brasil. Torço para que o Rio deixe de ser exemplo das minhas aulas de penal, quando o assunto é voltado para exacerbada violência urbana. Que Deus proteja todas essas pessoas que estão no meio desse fogo cruzado.

  7. Mirian Soares says:

    É difícil opinar sobre essa questão estrutural quando a gente mora longe e não vivencia diariamente essa realidade. Só sei que este é o momento de tentar tomar as rédeas dessa situação, visto que até onde estou acompanhando, a população tem apoiado a ação do governo. Concordo com a Ana Carolina quando ela diz que é preocupante se essa ação não for política de Estado e sim de Governo. Outra coisa, não minimizo a importância dessa ação no Rio. A população não pode mais ficar presa na sua própria casa, porém, há se ressaltar que política de segurança nesse país nunca poderá de desassociar de outras políticas vitais, tais como, educação, saúde, habitação, emprego, etc. De forma contrária, isso tudo será mero paliativo.
    Mas, também existe algo que me preocupa mais. Enquanto houver quem consuma drogas, sempre haverá quem forneça. E aqui não aponto apenas o dependente químico, mas, essencialmente aqueles que não são, mas se esquecem que estão sustentando essa miséria toda com seu baseadinho esporádico (entre outras). Enquanto não houver uma tomada de consciência disso duvido muito que alguma medida dê conta de toda essa realidade.

  8. Paula Yuri says:

    Oi Fernandinha,

    Estes dias vi pelo twitter tanta gente comentando, sobre o confronto armado intensificado nestes últimos dias. Que fiquei preocupada… com um comentário específico onde um rapaz ironizava a situação de terror, que a população no Rio esta passando. E a réplica de um rapaz onde ele falava é fácil achar graça quando não se tem familiares e amigos, em situação de risco.

    Isto me fez refletir, que eu apesar de não ter familiares ou amigos próximos no Rio. Leio e admiro uma galerinha da internet, como você, o Eudes da Rapadura açucarada, a Camila do Fofashions e a Elisa do Ela fala e sai andando, o Guilherme Briggs do Teatro de Bonecos (dublador do Buzz Lightear Toy Story).

    Infelizmente como cidadã, me encontro de mãos atadas. Logo percebi que a única opção acessível, seria orar pedindo para que a paz seja restaurada. E eu acredito no poder da oração!!!

    Beijos

    • Haynna says:

      Tenho me lembrado muito daquela música “Alô alô, Marciano. Aqui quem fala é da Terra. Pra variar estamos em guerra”. Pra quem tá de fora, a coisa parece estar muito russa. Estranho que pra gente que sempre morou aqui, a guerra parece estar só um pouquinho pior…

      Também sou super a favor do combate. As pessoas falam muito em PAZ, mas não existe paz sem justiça. E se a justiça do tráfico tem pena de morte, tortura e mutilação, não podemos ter pena. Estamos todos aqui em casa colados na tv, esperando a guerra começar de verdade, e torcendo. Mesmo que não seja uma solução definitiva, acabar com esses traficantes é uma questão de honra.

      Boa sorte pra nós e pra polícia..

  9. priscilla says:

    oi, fernanda, sempre leio seu blog, já fiz umas compritas com vc… sabemos que o assunto do blog não é política, mas realmente com toda a repercursão do que está acontecendo no rio, a discussão torna-se necessária…

    já adianto que sou super contra a política fascista do sérgio cabral… a própria palavra fascista já me dá nojo, pois me lmbro dos coleguinhas de curso da uff, fazendo patrulha ideológica e chamando o que quer que fosse desse nome, mas acho que se aplica bem a essa situação.

    o fascismo pode até ter sido um período marcado historicamente no início do século XX, mas ainda vemos uma série de focos de resistência até os dias de hoje, vide neonazisatas e, inclusive no Brasil, os integralistas e seu jeitim assustador de ser…

    para mim, quem defender violência e ir contra os direitos humanos, tudo isso salpicado por discurso nacionalista ou de amor ao rio, por exemplo, continuará a ser conhecido como tal: fascista, sim!

    o que está sendo feito no rio é tipo o que fez o governo bush com o povo americano pós 11 de setembro: uma política de amedrontamento da população.

    uma população amedrontada acata tudo o que seu dirigente mandar! lembro na época dos atentados de uma entrevista do gerald thomas no jô. ele morava em ny e viu o ocorrido com seus próprios olhos da janela de seu apartamento. depois deles, thomas disse que era comum estar andando nas ruas de ny, e um carro tipo um tanque de guerra parar, saírem pessoas vestidas com roupas herméticas, sondando com equipamento a localidade… os transeuntes ficavam apavorados…

    no rio, nosso excelentíssimo governador precisa de apoio para a criação de novas upp’s, coisa que ele só fará, se convencer o povo carioca de que se está em guerra. o tráfico taí, fê, é fato. mas será que seria esta a principal medida a ser tomada para combatê-lo? na verdade, não. todos sabemos que educação de qualidade, saúde, previdÊncia, saneamento básico é que podem mudar esse panorama, mas as benesses desse tipo de política, na verdade, só virão em longo prazo… o próprio sérgio cabral jamais veria a coisa mudando de figura durante seu governo, e isso ele não quer: quer é lançar medidas paliativas que aparentem ser boas, mas que não vou modificar de fato a questão da violência urbana no rio!

    fÊ, qd morava em nit, era frequentadora de movimentos em tdo qto era favela, antes e pós upp’s. é um mentira que os moradores estejam aliviados com a presença da polícia, que sempre lhes foi hostil. e, pasme, tb é mentira que não haja mais movimento de venda de drogas nesses locais… vi com meus própuios olhos, conversei com os novos vendedores… o que fazem é uma camapnaha de divulgação só do lado bom da upp, ignorando total a opinião dos favelados… os policiais entram lá e apenas substituem a merda que os traficas faziam pelas novas merdas que ele msm começam a fazer… com o perdão do termo…

    dá uma lida nisso daki:
    http://www.cecac.org.br/MATERIAS/UPP_segregacao_urbana_criminalizacao-20.9.10.htm
    é gradinho, mas é uma visão melhor do que a vemos nos meios de comunicação em massa…

    não sou a favor de tráfico nem de legalização de drogas… mas tb não posso ser a favor de uma polícia que, a mando de políticos safados, tenta enganar e forjar que estão fazendo o bem…

    o que ocorre nesses lugares é a chamada remoção branca, querola através de mt especulação imobiliária feita por gente que tb , assim como os traficantes, querem lucrar com os favelados, coitados…

    sem contar que voltei para minha cidade natal, macaé, conhecida como a meca das oportunidades por causa do petróleo… os traficantes estão vindo todos pra cá! minha cidade hj é dividida entre ada, cv e demais facções…

    por causa da copa e das olimpíadas, vão fazer com o rio o msm que fizeram na época da eco 92: transportar todos os mendigos para fora do rio, principalmente niterói, para dar à cidade uma cara “limpinha”; expulsar os traficantes, sem proteger as zonas adjacentes..

    ai, me revolta tanto…

    bjsssssssssssss

    • Maíra dos Anjos says:

      Isso é muito verdade. Conheço moradores de favelas, alias, amigos e “casos sérios, meu ex namorado que é mais ou menos atual shaushaushuahsuausa”, que têm medo da polícia, mesmo não tendo nada de suja em suas fichas penais. Não estou falando que eles apoiam traficantes não. Estou falando que eles têm medo da polícia, sim! A polícia não é visto como alguém que chega para salvar a pátria não.

  10. priscilla says:

    desculpe o tamanho do texto.. só vi que ficou huge depois de publicar.. mas acho revoltante msmoooooooooo. to passada com isso e com quem prega sim à violência policial!

  11. gicelia ribeiro says:

    Oi Fê, tb sou super a favor a politica de enfretamento. Não é só no Rio não, aqui em Salvador tb está um caos, muita violência e são os bandidos que ditam as regras e as autoridades aqui não fazem nada, são crianças morrendo dentro de suas próprias casas, pessoas inocentes sendo subjugadas pelo trafico. Eu tb fui nascida e criada numa favela, e realmente nos acostumamos com a situação de termos bandidos na rua armados, mas onde eu morava as coisas pioraram muito, e quem é trabalhador era visto como os bandidos e os bandidos como os moçinhos, eu e minha família tivemos que abandonar nossa casa em pleno 31 de dezembro do ano passado, pq não consiguimos mais conviver com tanta miseria. Espero que os politicos daqui tomem consciência e tomem uma providência antes que seja tarde demais.
    Bjos Fê =)

  12. Loli says:

    Concordo com vc Fê, e ainda temos que ver gente que, não sei se por extrema ingenuidade, por hipocrisia ou burrice mesmo, dizer que é contra a reação, que blablabla educação blablabla falta de oportunidade blablabla tadinhos dos bandidos. Ai, dá vontade de mandar esse pessoal SF.

  13. Fernanda N. says:

    Acho que a ingenuidade vem de vocês, que parecem não saber que inúmeras pessoas inocentem morrem (inclusive por execuções sumárias, por parte polícia) devido a esses conflitos. É importante que vocês, que são a favor de uma política de enfrentamento, revejam o conceito de “segurança” aplicado pelo governador Sérgio Cabral. Deixem de lado, um pouquinho, essa mídia mentirosa e pensem em como se sentiriam se tivessem seus direitos sociais violados, tais como não ter livre acesso à sua escola ou residência; ter sua casa invadida, revirada e roubada por policiais; ter que ser revistado toda vez que precisasse ir à rua; ver seu local de moradia cercado pelo Exército, que sequer poderia estar ali, de acordo com a Constituição…

    Bom, não vou prolongar a discussão, já que a Priscilla falou muito bem. Ademais, não expus minha opinião aqui por puro “achismo”. Trabalhei durante anos em favelas cariocas (só na Rocinha foram 2 anos) e sei REALMENTE o que ocorre nessas localidade. Se você quiser ou se tiver interesse no assunto, leia esse texto: http://www.redecontraviolencia.org/Documentos/764.html

    • Maíra dos Anjos says:

      Oii Fernanda… Eu também acho que essa “segurança” meio mentirosa. Mas eu sinceramente acho que ela precisa ser feita.
      Revirar minha casa e roubar minhas coisas eu não concordo, mais uma de policiais corruptos, mas sinceramente não ligo de ser revistada, não fiz nada de errado e não tenho nada a esconder. Enfim, ficar sem fazer nada não dá. Mas sou bem consciente QUE ISSO NÃO RESOLVE NADA. NÃO É DE REPENTE QUE A FAVELA VAI VIRAR UM MAR DE ROSAS!

      Mas se não for feito isso, o que você acha que deveria ser feito?
      Te pergunto isso com 0 de ironia, porque eu não vejo outra solução de emergencia que seja diferente disso.

  14. Maíra dos Anjos says:

    Além de diva, linda, fashionista, é INTELIGENTE.
    AAAAI MEU DEUS. COMO EU AMO ESSA FÊ!

    Agora posso dar minha opinião? Sou mineira de Belo Horizonte, e aqui há favelas como aí. A diferença é que não tem praia (triste isso shaushuahsuahsuhausa).
    Eu acho que têm que acontecer esse trabalho da polícia SIM, só que as pessoas estão achando que isso vai resolver TODO O PROBLEMA, QUE AS FAVELAS CARIOCAS VÃO SER UM MAR DE PAZ. Eu já cansei de ouvir, se eu morrer, nasce outro pior ou igual!
    Gente, vamos acordar né?
    Essas medidas são tapa buraco. Elas não resolvem o problema. No meu ponto de visto de cidadã da zona norte, que frequenta a favela, mas mora num bairro “normal”, é que o tráfico de drogas não é um problema só da polícia não. é um problema do ministério da educação, do ministério da saúde, dos presídios, e principalmente da corrupção. Ou você acha que os traficantes só moram na favela? traficante grande mora numa cobertura linda e bela!
    Quando ser preso for SINÔNIMO DE TRABALHO DURO, eu acho que as pessoas vão pensar duas vezes antes de praticar um ato ilícito. Eu sinceramente acho que presidiário tem a vida MUITO BOA. Come, bebe e dorme, mesmo que seja numa cadeia super lotada. QUERO MESMO É QUE OS PRESIDIÁRIOS TRABALHEM 15 HORAS POR DIA FABRICANDO ALGO DE BOM PRA POPULAÇÃO. Sinceramente, acredito no projeto de presidiário como trabalhador braçal, quantos pais de familia aí trabalham 15 horas por dia? MUITOS UÉ. Porque presidiário fica lá SEM FAZER NADA? aaaaah vá.
    essa é minha opinião. E gosto de ver discussões inteligentes assim num blog de moda.

  15. Luana says:

    Nossa… entrei nos comments para elogiar a Fê e acabo elogiando todos, por todos os pontos de vista, por me fazerem pensar… e incrivel como consegui parar para pensar várias vezes somente lendo os comments ou indo a links indicados… Quando essa situação começou a ficaR mais sérias, acho que lah pra quarta feira da semana que começou, foi que comecei a tomar conhecimento da situação… Dali não via a hora de ler alguma coisa aqui nesse blog, pq ouvia e lia tantas coisas que não sabia mais o q pensar… Minha opinião realmente não é importante, pq tenho receio de pré julgar a situação, o que seria leviano pois realmente não tenho conhecimento de como é a situação real aih no Rio e em diversos lugares… Mas Parabéns a todas!

    BjoOo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s