Passei pra dar um oi!

So’ passei aqui para dar minhas primeiras impressoes:

* Meu albergue e’ meio tosco. A estrutura e’ legal, mas as pessoas sao porcas. O banheiro e’ tranquilo, mas a cozinha… me deparei com um prato seco de macarrao hoje de manha, quando ia esquentar meu leite. Blergh.

* Para quem duvidava, surpresa: esta’ fazendo frio aqui. Uns vinte e poucos graus durante o dia (faz um solzinho que engana) e de noite cai muito a temperatura, sem contar que bate um vento brabo nas grandes avenidas. Nessa brincadeira, eu e Joao estamos com amidalas gigantes. O pobrezinho teve ate’ febre a noite😦

* As argentinas se vestem melhor no frio: todas parecem ter trench coats e pashminas. Acho que basta usar as duas coisas para estar elegante, ne’?

* Ja’ as lojas de roupas nao me atrairam em nada, nadinha: parece que so’ vendem blusinhas e cardigans. E nada parece custar menos de 300 pesos. Serio. Quem foi que disse que as coisas aqui eram baratas? A inflacao esta foda.

* As argentinas gostam muuuito de cabelo comprido. E usam preso no maior mafua’, sabe? Um coque altao, no meio da cabeca, ou entao preso num rabo de cavalo meio derretendo, meio de lado;

* Comi uma carne maravilhosa ontem, em um restaurante em San Telmo, chamado Ernesto. Carne suuuper alta e macia. A melhor que ja’ comi na vida;

* Ontem foi feriado, 35 anos desde que o pais foi tomado por uma ditadura. Ate’ ai, normal. O que me impressionou foi ver as pessoas nas ruas, numa manifestacao mesmo, sabe? Cada um tinha a bandeira de um partido, alguns carregavam umas faixas bizarras (fotografei uma que dizia “negros de mierda” e tinha o desenho de um porco. Ja’ tinha ouvido falar que o povo aqui era meio racista, mas nao sei se essa era uma demonstracao de racismo. Se alguem souber de alguma coisa a respeito, me conta);

* O fato e’ que quase nao ha’ negros aqui. Agora eu sei como um gringo daqueles beeeeem branquinhos se sente na Bahia. As pessoas me olham e sabem que eu nao sou daqui. Nao passo desapercebida em lugar nenhum, e nem sempre de um jeito positivo.

Amanha vamos a Punta del Este. Yaaaaaay!

Beijos, gente

23 thoughts on “Passei pra dar um oi!

  1. carolgloria says:

    Oi, Fernanda!
    A Argentina não tem negros porque eles foram dizimados. Achei um textinho aqui pra vc ler quando tiver tempo: http://sugoss.blogspot.com/2009/06/entenda-o-porque-do-racismo-na.html
    Quando fui em Buenos Aires, conheci um lugar lindo em Palermo chamado Papelera (http://papelera.eurofull.com) que tem tudo quando é troço de papel lindo. Havia uma loja perto linda tb, mas esqueci completamente o nome, tente andar por Palermo com tempo que tem trilhões de lojinhas legais, mas não achei os peços muito convidativos. Depois fiquei pensando que talvez o problema seja meu, pois só compro roupas no Brasil quando estão em promoção e as pessoas que me falavam que na Argentina as coisas são mais baratas não. Será que não é seu caso também?
    bem diveirta-se. Adoro seu blog!

  2. Mix says:

    Fe…

    -putz que mala esse negocio de racismo… eh fato q eles são meio do mal mas desencana… liga o botãozinho, sobe no salto e manda ver… nunca mais vc vai ver esses (msms) portenhos…

    – vc foi a San Telmo ontem, mas va no domingo se puder por causa da feirinha!!!!

    -roupas: vc não achou nada nadinha? eh pra mim tmb foi meio fraco dessa última vez… fio com a intenção de reformar meu armario e voltei com duas calcas bombachas mas pq eu rodei MUITO msm…
    tvz entrando fuçando nas araras do bairro de outlets vc encontre coisa ou outra…nessa ultima viagem meu marido comprou MUITO mais q eu no quesito roupas hehehehe… eu me deliciei msm com badulaquezinhos!!!!

    – COMA CARNE TODOS OS DIAS SE PUDER!!!!… alem de barato eh MUITO boa como vc pode comprovar!!!

    bom bom restinho de viagem!!!!! e boa sorte nas compraxxxxx!!!!

  3. Nahira Salgado says:

    Oi, fui praí em outubro do ano passado. Os albergues são meio porquinhos mesmo, na verdade por aí tudo é um pouco. Quanto as roupas, achei bastante coisa na palermo e na santa fé, perto do shopping. Tem que andar bastante. Tem uma loja de coisas pra casa/pessoal, tipo imaginarium, nesse shopping que não lembro o nome, coisas assim são beeeeem baratas por aí. tem a toda moda tbm, na florida mesmo. Tem que entras nas lojas, tenis aí era bem barato quando fui. Comprei várias coisinhas numa loja grande de departamento ( alguma coisa bella, uahiuahiua) tinha malas de couro (daquelas de decorar a casa) super baratas. É isso, espero que dê tempo de você olhar meu comentário, bjos.

  4. Juli says:

    É verdade os argentinos tem um cabelo bem diferente! Uma pena esta questão de racismo, já o pior que é verdade (já estive lá) acho que eles não curtem muito os brazucas!

    Já a questão da inflação quando eu fui em 2007 comprei muitos casacos para o frio(moro no sul do brasil muito frio) super baratos e sapatos de couro também. Mas hoje em dia não sei como está!No primeiro dia eu estava fazendo a conversão errdada, então eu achei que tudo fosse muito caro, mas depois eu fiz certinho e vi como as coisas estavam baratas!

  5. Juli says:

    Só para contar na época fui em um restaurante no porto madero, fui meio mal vestida e não fui bem atendida. E atenção com dinheiro falso, tá! Eles se aproveitam que o turista não é de lá e passam moedas que já sairam de circulação e dinheiro falso.

  6. Juliana says:

    Sabe que eu morro de vontade de ir pra Argentina e não vou por essa questão de racismo (e pq to pobre mesmo). Assisti uma vez ao troca de familia, e foi uma familia da Argentina e uma do Brasil. A mãe que foi pra Argentina era negra, e a filha dessa familia praticamente nem olhava pra cara dela.

  7. Carla says:

    Fernanda,
    fui pra aí em janeiro e tive a graça de pegar uma pqn liquidação na Zara… mas esperava que coisas fossem mais baratas mesmo… eu acho que o fato do turismo de compras tá bem aquecido por aí, os caras andam aumentando o preço…
    mas tem umas surpresas boas… tem uma loja de bijoux… acho que é Toda Moda (tem várias delas pela Florida), tem sempre coisas bem baratinhas… tem tb os outlets… pra falar a verdade não comprei nd… a não ser 1 mala da Samsonite de viagem… mas tb não tempo de procurar mto coisa pois a minha prioridade era conhecer BsAs (tava com namorado, sabe como é?) e tb tive a infelicidade de ficar gripada.
    Mas se tiver tempo, vá a bairros menos turísticos (pergunte ao pessoal do Hostel) e tenho certeza q vc encontrará coisas mais baratas.
    Bjos e boa viagem

  8. jaciara says:

    Oi Fê, que legal vc ir à Punta, estive lá em janeiro desse ano, na verdade fiquei em Montevideo e fui à Punta e voltei no mesmo dia. Tive a mesma impressão que vc teve quando estive no Uruguai, quase não vi negros e os que vi,claro que não eram do lugar e eu também chamava muita atenção, depois dá pra acostumar, mas no inicio, so jesus. A moda de lá também é bem básica, acho que nós brasileiras somos mesmo o must em se vestir ou então damos valor demais a isso….rs
    Bjs e curta muito a sua lua de mel.

  9. Loli says:

    “Agora eu sei como um gringo daqueles beeeeem branquinhos se sente na Bahia. ”

    Gata, sou da Bahia e é verdade que a maioria da população é negra e mulata, mas tem gente branca de verdade também. O brancão que todo mundo sabe que não é daqui também passa por gringo no Rio.

  10. Loli says:

    Ah, uma amiga minha foi recentemente a Buenos Aires (menos de 1 mês) e disse que foi muito bem tratada, e ela é negra.

  11. Paula says:

    Fê, a carne que vc comeu provavelmente é um bife de chorizo (não choriço, que é linguiça de sangue, ok?) É uma delícia mesmo! Quando fui visitar o país, era o que eu mais gostava de comer! Bom final de viagem, linda!!
    Beijinhos

  12. Camille says:

    Também sou negra e não senti tanta diferença de tratamento em relação a cidade em que moro (Joinville/SC). E apesar do que todos falam, fui muito bem tratada por garçons, taxistas, etc. Fora uma moça impaciente na farmácia, e outra numa loja, achei pessoas bem gentis em Buenos Aires. Mas entendo a tua decepção com as roupas. Definitivamente, a moda é bem diferente daqui, além de o formato das roupas ser bem estreito (digamos). Se eu fosse tu, caía de cabeça nos cosméticos. =)

  13. Dandarah says:

    OI Fê!
    Eu morei 3 anos e meio em Buenos Aires, sou negra e sei do que vc está falando.Todo mundo olha mesmo. Algumas crianças estão vendo uma pessoa negra pela primeira vez na vida! Mas sempre me trataram bem! Fui muito feliz aí apesar de ter sentido muita falta de ser uma a mais no meio da multidão rsrs. Mas com relação à faixa, ela não está se referindo a uma pessoa de cor negra e sim a uma pessoa de mente negra. Por exemplo, a galera que apóia o governo Kirchnerista e chamada Negros de Merda, pelas oposições. Eles vivem em é de guerra. O termo independe da cor da pele, entende? Eu não gosto muito desse termo. Acho meio estranho tbm. Mas era só para esclarecer que não uma questão de preconceito racial. Quanto à moda, eu amoooo!! Acho muito lindos as camisetinhas, as pashiminas enormes e os casaquinhos e Cardigans de lá gigantes. Uma loja bacana é a Cuesta Blanca . Tem por todo lado e os preços são bacanas! http://www.cuestablanca.com.ar/. A Avenida Santa Fé está cheia de lojinhas baratinhas com coisas lindas! Vale à pena passear pela Avenida Cabildo e pelo bairro de Once que é tipo o Saara e a 25 de Março! Muitos achadinhos baratinhos e vendas por atacado e varejos nas lojas de bijus!!
    Fê, divirta-se muuuito na sua viajem, tire muitas fotos e mostra depois aqui no blog. Beijos!

  14. Cherry Bloom says:

    Esse lance de se destacar por ser diferente é o de menos…Mas racismo gente? Não sabia disso…uma lástima.

    – Minha amiga ficou e super recomenda o Milhouse. Eu até pedi pra ela escrever aqui algumas dicas, mas acho que ela deve ter esquecido, rs

    Punta que lindo!

    Boa viagem🙂 aproveita tudoooooooo e manda esses racistas pra putaqueoparolas

    Beijão

  15. Janira Borja says:

    Fê,
    Dá para comprar algumas coisas legais e com preços bons nos galpões de novos estilistas em Palermo (que, na minha opinião, é um passeio imperdível), nas imediações da Plazeta Julio Cortazar. Não achei muita coisa nos outlets da Av. Córdoba, que muita gente indica… Se vc quiser comprar couro, vai na calle Murilo. O preço é ótimo, mas é aquela coisa mais clássica, sabe? Não dá para achar casacos moderninhos e tal. Mas eu comprei uma jaqueta perfecto (lá eles chamam “rockera”) liinda por menos de R$ 200. E de couro!
    E concordo com Dandarah, a loja Cuesta Blanca sempre tem coisinhas legais com preços bons!

  16. Sil Barros says:

    Nossa, senti a mesma coisa, chamei mt atenção na rua, me sentia mt olhada. Um cara de chamou de Sandra de Sá, achei aquele tipo de racismo “preto é tudo igual”.

  17. Jessy says:

    Oi Fe, td bem?
    Menina, fiquei super feliz qdo vc disse que iria à Argentina e estava curiosa pra ler seus comentários sobre, afinal, queria saber oq “gente como a gente” acha desse país… Lendo seu post e tbm os coments das amigas acima fiquei bastante espantada ao ver como o tema racismo e preconceito é frequente, mto triste! Eu sou negra, nada discreta, já fui praí +- 5 vezes – nao me lembro bem – e trabalho com Argentinos todos os dias e NUNCA, eu digo NUNCA mesmo, sofri algum tipo de preconceito. Ate mesmo em algumas cidades mais do interior que são mais colonias europeias ainda, nao fui destratada, olhada torto, nada. Pelo contrario, sempre vinham falar alguma coisa do Brasil pra puxar assunto e fazer amzade.
    Nao sei se realmnte sou sortuda nsse aspecto, mas creio que a situaçao nao esta tao horrivel assim, afinal de contas estamos no secXI e BsAs é tao cosmopolita como SP e RJ, entonces…
    Buenas suertes!

  18. Fabi says:

    Fê,

    Olha que engraçado: meu cabelo é composto de uma profusão de cachos, mas minha pele é relativamente clara, com aquele tom amareladinho (digamos que sou uma parda desbotada), sabe?!
    Quando fui a Buenos, eu também era muuuito olhada – no metrô foi impagável,tava quase distribuindo autógrafos…rs – mas era nítido que se tratava de curiosidade.
    Meu ex que me acompanhou na época tem fluência e até aquele “acento” típico dos nativos, então ficava na cara de que não éramos dali somente e tão somente por minha causa (cabelón + idioma).

    De qualquer forma, não reparei em nenhum mal-trato, pelo contrário, achei o povo bem solícito de maneira geral… .

    Beijo e aproveita!
    Melhoras ao Rô.

  19. Li says:

    Fui pra Buenos Aires ano passado e algumas vezes para Puerto Iguazu(divisa com Foz), nas duas cidades fui muito bem tratada, por vendedores, garçons… achava engraçado que eles chegavam falando em inglês comigo, nem imaginavam que eu era brasileira… Não notei olhares curiosos, talvez, por morar no sul, já esteja acostumada…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s