11 meninas…e muita coisa em comum

Já tem tempo que a gente ouve falar em sustentabilidade: nas empresas, na política, na vida doméstica. Mas o fato é que, para que a sustentabilidade chegue à moda (pelo menos no Brasil) ainda falta um pouco. É um passo largo a se dar quando cruzamos com tanta fast fashion, comemoramos com a chegada da Topshop, queremos fazer a limpa na liquidação da Zara, arrumamos uma pechincha bacana na Marisa ou uma coleção limitada na C&A. Consumir menos é um desafio que parece ir contra tudo o que amamos, tudo o que desejamos – parece que vai contra a moda em si.

Eu comecei a pensar nisso há um tempo, mas a verdade é que só a falta de dinheiro me mostrou que, sim, dá pra viver com as roupas que tenho no armário. E, além disso, me fez ver que muitas das compras que fiz não se pagaram no longo prazo (é tanta blusa que fura, vestido que desfia, tecido que dá bolinha e vira roupa de ficar em casa que OLHA), e revelaram a essência do consumo rápido que tanto comemoramos: para vender muito e barato, não dá pra ser bom. Ao menos, não muito bom. Mas se não é tão bom, por quê compramos tanto?

.

;

Eu não sei a resposta dessa pergunta, mas resolvi procurar. Como uma boa shopaholic, sinto um desejo profundo por comprar tudo o que é novidade, tudo o que é bonito, ainda mais se for barato. É um comichão que mora em mim, uma doença mesmo. Mas resolvi ir contra esses instintos todos. E chamei 10 meninas superbacanas para entrar nessa comigo. Pra gente discutir moda e sair um pouco do COMPRA COMPRA COMPRA. Pra gente usar o que tem. Pra gente viajar um pouco com a moda.

A partir de segunda, você está convidado a viajar com a gente🙂

.

Quer saber o que estão falando sobre o assunto?

♥ A Lily fez um post muito bacana falando das dores e delícias de comprar muito (eu também me sinto mais bonita de roupa nova, amiga!);

♥ A Aline  fala da moda como uma ferramenta para o estilo pessoal (pra quê saia mullet se ela não combina com nada do seu armário?);

♥ A Anna deu dicas de projetinhos bacanas pela blogosfera e criou uma imagem terrível na minha frente: o que acontece com toda roupa costurada e abandonada pelo mundo?

♥ A Nati fala sobre estilo, fast fashion, e deixa as leitoras curiosas!

♥ A Lual fala sobre como o nosso amadurecimento fica refletido nas roupas que a gente usa;

♥ No tumblr da Carol (cheio de inspirações bacanas!) fala sobre a crítica que a gente tem que ter na hora da decisão mesmo, dentro do provador, antes de comprar mais roupa;

♥ A Mari falou pouco, mas falou bonito, lá no face dela;

♥ A Fêzinha falou como a maternidade mexeu com as prioridades dela – incluindo as escolhas no armário;

♥ Será que os blogs de moda fizeram da gente mais consumista?, a Mira levanta a discussão aqui

E tem mais gente escrevendo por aí!

24 thoughts on “11 meninas…e muita coisa em comum

  1. Ana says:

    Fer!! eu nunca escrevo, pode ser porque nao sou brasileira e fico com medo de escrever errado… mais achou que hoje vale mesmo a pena. Porque concordo absolutamente com seu post e sua opinaio frente ao consumo. Eu acho que para alem da sustentabilidade, tem outros items que tem que ser levados em conta, As mulheres gastamos muito do nosso dinheiro em coisas que finalmente nao acrescentam em nossas vidas nada significativamente… sei lá, viagens, livros, carros, imoveis!! tanta coisa trocada por simples roupa! nao sei se vale a pena. Por outro lado mesmo que acho a roupa da zara linda mesmo…. tambem acho que estamos cada ves menos criativas, menos ousadas. Se vestir deve ser uma experiencia estetica, criativa, e divertida!! mais enfelizmente esta virando uma uniformizaçao que nada tem a ver com a moda ( no sentido de experiencia mesmo) e sim com simples capacidade ou locura pelo consumo….

  2. Debs says:

    Estou batendo palmas. Em pé.

    Tentei fazer essa de parar de comprar roupas por um tempo, como pauta pro meu antigo blog. Claro que não deu certo, a motivação era idiota.’
    Mas depois de passar pela minha última “renovação de alma” passei dois meses sem comprar sem me programar pra isso. Simplesmente mudei o foco.
    Agora compro, esporadicamente e com controle. Tá tudo bem agora hahaha. Vou adorar acompanhar essas 11 lindas nisso.

  3. Andrea says:

    Que tema pertinente, vou adorar acompanhar! Eu também estou nessa vibração, de comprar menos e melhor. Andei me desfazendo de muita coisa que estava parada no armário, isso estava me incomodando (uma parte doei, outra parte vendi num brechó) e quero viver com menos itens, mas com mais criatividade. Na verdade, ando saturada com essa uniformização da moda, todo mundo se vestindo igual, essas tendências que no final são todas iguais. Não quero sneaker, não quero neon, não quero tons pastel, nem estampa de lenço, hahah
    Minhas últimas aquisições de moda foram uma pantalona e um blazer de linho, itens que sei que são elegantes, atemporais e me acompanharão por muitos anos.
    Além disso, sou jornalista e venho me especializando em cobrir o tema sustentabilidade, por isso, mais do que nunca tenho ciência dos malefícios do consumismo desenfreado. Quero aplicar o desapego à vida, por isso vai ser bacana acompanhar o desafio de vocês. #tamojunto! Força aí meninas!!

  4. A moda é ... says:

    A maturidade me fez entender que sou mais feliz com o que aprendo do que com o que eu compro. E isso me ajudou a ser mais seletiva na gravidez, principalmente pq para menina as opções de compra são muito maiores.
    Adorei a idéia, principalmente vindo de uma shopholic!
    Bjks

  5. Marisa says:

    preciso, sabe qdo vc compra roupa fica euforica com a sua compra, e depois bate aquela tristeza porque gastou mais dinheiro do que devia? me sinto assim.

  6. Lu says:

    E algumas lojas encomendam suas roupas em ateliês clandestinos, que escravizam pessoas (aqui, na Indonésia, na Bolívia…), para podermos consumir ‘mais do mesmo’ com um preço pechincha.

  7. Nélida says:

    Adorei o post!
    Cheguei a conclusão que tenho mta roupa porque já não tenho onde guardar nada!
    Chega de consumismo desenfreado!😀
    Portanto a minha sugestão é: Porque não fazer “compras” dentro do seu próprio armário? Ir à descoberta de novas combinações e apostar em costumizações a peças que já não nos agradam mto?
    Beijão

  8. Daniela Sacramento says:

    Muito interessante a ideia.
    Eu também acredito em consumo consciente, por isso estou sempre desengavetando peças do meu guarda-roupa.
    Enfim, é possível sim, se vestir de uma maneira legal sem precisar sair gastando por aí.
    =)

  9. JOSIANE ALMEIDA says:

    To ansiosa pra chegar segundona!!!!…..contei pra minha mae,e ela falou assim: Até q enfim pessoas com pensamento de reaproveitar o q tem,pra vc ter noçao,tenho coisas no armário com etiqueta e o pensamento é só de querer aquela peça,ou a outra q tal pessoa ta usando!!
    Com esse pensamento futil eu vivo sempre triste,pois ñ consigo comprar tais peças,e sempre quero comprar+!!!..e na real o q eu preciso é somente de calças,pois as minhas se desgastam na parte interna da perna!!!….FE OBRIGADA POR FAZER QUE NOS EXERCITEMOS!!!….UM BEIJO PARA O SENSO CRIATIVO!!!

  10. Cat says:

    Tem momentos em que a falta de esperança é tanta que só nos resta acreditar no brocardo “tudo tem seu tempo”, “as coisas acontecem quando têm que acontecer”. É nisso que eu me apego quando vejo o que eu mais quero na vida, no momento, escorrer pelas minhas mãos. Tem que ser assim, senão a gente enlouquece.

  11. Pingback: Links da Semana
  12. Nine says:

    Descobri o teu blog por acaso, aliás, por sorte! Guriaa! Tô amando!!
    Tu tens um baita bom gosto ao escrever os posts, também não se limita somente à roupas. Enfim, aqui encontrei a combinação perfeita: looks, dicas de brechós, dicas de filmes (AMO!) e dicas de livros!!!
    O que mais eu quero!?
    Beijos! E sucesso!

  13. leilabf says:

    Fernanda , achei seu post muito interessante, tenho me perguntado como equalizar essa situação, MODA SUSTENTÁVEL, como assim se oficialmente temos o lançamento de 2 coleções por ano, sem falar nas fast fashion da vida que lançam pecas novas toda semana, o mundo no qual vivemos e assim, tem que circular mercadoria, nos temos que sentir necessidade de ter, de possuir, e eu acho que tem muito blog que acaba estimulando esse consumismo desenfreado, que no final das contas nos traz uma sensação momentânea de prazer e depois sentimos , não sempre, que aquilo realmente não preencheu o espaço e vazio dentro de nos continua, e assim também a necessidade de continuar consumindo, não sei para onde estamos indo, bju

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s