Eu quero um trabalho – ou “vida de freela”

Eu quero um trabalho para poder chegar em casa cansada todos os dias.

Eu quero um trabalho para poder sentar e pedir uma massagem para o João antes de dormir.

Eu quero um trabalho que não me dê tempo de acompanhar 4 séries de TV ao mesmo tempo.

Eu quero um trabalho que não me permita ver todas as novelas do dia.

Eu quero um trabalho para poder sair no happy hour e dizer traz mais uma porque eu mereço!

Eu quero um trabalho para parar de sentir inveja de gente bem sucedida

Eu quero um trabalho para não cansar do gosto da minha própria comida todos os dias

Eu quero um trabalho para toda manhã escolher uma roupa diferente ao sair

Eu quero um trabalho fixo

Eu quero um salário fixo

Eu quero ser careta

.

No entanto, eu não quero um trabalho qualquer. Também não quero um trabalho perfeito. Eu quero um trabalho que eu goste, na área que eu procuro, com um mínimo de recompensa. Com um salário decente. Com condições trabalhistas dignas. Eu quero um trabalho que me permita viver daquilo que amo sem jogar no lixo meu diploma. Nem precisa ser um emprego, de repente. Só um trabalho.

Será que é pedir demais?

.

Às vezes eu acho que é.
;
;

;

27 thoughts on “Eu quero um trabalho – ou “vida de freela”

  1. Liana says:

    Ogente!!!!
    Eu quero um trabalho onde possa chegar em casa e ter tempo e disposição de fazer outras coisas (como exercício físico).
    Eu quero um trabalho onde tenha mesmo vontade de, a noite, dar uma massagem no meu marido ou fazer outras coisas de repente…
    Eu quero um trabalho que me de tempo de assistir uma novela, ou de sair no happy hour.
    Eu quero um trabalho onde possa ser bem sucedida sem me sentir uma escrava.
    Eu quero um trabalho de freelance, onde possa passar alguns dias da semana em casa, de roupão, sem ter que sair todos os dias na hora pico, passar horas no transito, sem ter que aguentar um chefe chato todos os dias ou funcionários hiperdemandantes.
    Vamos trocar??

  2. Vivi Brignes says:

    Continue pedindo e pensamento positivo.
    Pense que o universo conspira a seu favor…
    Eu tenho a prova disso sempre, mesmo qd me desespero, esqueço…
    Lá vem ele mostrar que está ao meu favor.
    Sucesso lindona!

  3. Renata says:

    Você já tem bem definido o que você gosta e o que não gosta? O que você realmente ama fazer? Nem sempre é simples, eu por exemplo amo o que eu faço, sou muito realizada quando estou trabalhando mas… às vezes eu queria tanto fazer o meu horário, ter mais tempo pra estudar coisas não relacionadas à minha área… Na verdade, acho que ninguém está 100% satisfeito nunca. E talvez isso seja bom a insatisfação nos impulsiona pra frente. Agora, concordo que ter um salário é uma tranquilidade. Mas não se sinta menor por não tê-lo. Ou por poder ver todas as novelas. Quando você tem trabalho, você dá o seu melhor, não dá? Então pronto, você merece a sua cerveja no happy hour. No fim as coisas se ajeitam. Sempre, mesmo que seja de um jeito que a gente não esperava. Sorte e paz pra você!

    • Fernanda Alves says:

      Eu gosto de muitas coisas. Gosto de escrever. Gosto de produzir. Gosto de mídias sociais. Gosto de jornalismo de moda. E nem preciso de um trabalho tradicional, de 8 às 17h, sabe? Mas preciso de algo fixo, que me mantenha ocupada e pague minhas contas. Por enquanto tá difícil.

  4. fernandacristine says:

    Mas só pode ser trabalho envolvido com moda/produção? Não tem nenhuma outra área de jornalismo que te agrade? Você quer trabalho e eu quero férias, pode ser? hahahaha estou aqui torcendo por você!

  5. DANIELLA SCHNEIDER says:

    Oi Fernanda,
    Tbm estou em uma situação bem parecida com a sua… enquanto espero a chamada de um concurso q ñ chega nunca…rs…vou tentando fazer cursos, receitas diferentes, tudo o que aparece pra manter a mente ocupada!!….rs….
    Não desista, nem desanime, iremos conseguir!!!
    Qdo ficarmos “borocoxô”,…. “sempre teremos chocolate”…
    Bjos e forças..

  6. Marcela de Vasconcellos says:

    Putz, Fê. Mas parece que hoje em dia é demais sim.

    Assim de cara, nunca se consegue o que se sonha…vai lá, tenta uma outra coisa, de repente perto do que vc quer mas não exatamente. Sei lá, na vida tudo se trata de decidir o que se quer, pensar, sofrer, ver se vale a pena o sacrifício e se você quer realmente tanto assim.

    Como diria a música do Bosco: ” A questão é querer, desejar, decidir.”

    Nada na vida é um caminho sem volta. Vai lá e procura um trabalho fixo, se ficar tudo ok fica nele, senão larga tudo de novo. Só você pode saber o que te faz feliz ou não. O que me faz feliz em relação a trabalho é ter paz pra fazer o meu e saber que eu vou ganhar aquele tanto no fim do mês não importa o que aconteça.

    Para e pensa. decide e corre atrás.

    Boa sorte.

  7. laceplace says:

    Olha, eu queria um trabalho em que eu pudesse ter tempo de respirar, ver minhas séries preferidas, ter fins de semana dignos (sim, pois eu trabalho de segunda a sábado até tarde), emendar feriados (se duvidar eu trabalho até nos feriados), viajar. E pior, sou profissional liberal (dentista) e não tenho salário fixo. A sorte é que tô pra ser chamada no concurso em que passei e estou terminando de montar meu consultório, pois no consultório onde trabalho a coisa é tensa. Mas se Deus quiser as coisas vão melhorar pra gente!
    :*

  8. Juliana Spotto says:

    Oi Fê, sou dessas leitoras que sempre adoram e amam ler o blog mas nunca comentam. Só que hoje não deu pra passar batido: faço jornalismo também, estou prestes a me formar e já me especializei em moda pelo SENAC RJ. Cara, o que eu já fiz de freela na área não é brincadeira: parece que para trabalhar com moda no Rio ou você foge para a assessoria de imprensa ou… faz freelas de produção de moda. Ou vira blogueira! Não tem muito pra onde fugir…. a não ser começar seu próprio empreendimento! Você já pensou nisso? Eu to muito muito nova (20 pra 21 anos) mas já tenho planos em mente do que quero construir no futuro. Mas essa me pareceu uma solução boa e a longo prazo, não vai jogar meu diploma no lixo. É isso, gata, força e cabeça em pé: a solução pode estar do seu lado!

  9. Laura says:

    Oi Fernanda, te entendo muito bem.
    Estou passando um perrengue financeiro monstro e estudando para concursos.
    Aparentemente sou muito qualificada para empregos razoáveis e pouco qualificada para empregos bons. Como faz?
    O engraçado é que quando a gente fala que está sem emprego as pessoas acham que a gente tá na farra, fazendo festa. Com que dinheiro?
    Também quero muito poder chegar em casa cansada de um dia de trabalho, mas sabendo que tenho dinheiro na conta para pagar minhas contas.

    Talvez esse ano seja um ano de decisões e mudanças para nós arianos.

    Mil beijos e força que uma hora a gente consegue!

  10. Drinsana says:

    Tchuca …
    Aqui no meu …to querendo alforria. Meu círculo de amizades é bem legal e amplo e como você disse acima …chega uma hora que acaba numa invejinha daquelas de “poxâ …e eu ?!”.
    Empregada no que não curto …exercendo o que não gosto.
    Querendo trabalhar no que sei bem e ter reconhecimentos em todos sentidos. Não está sozinha. Mas vou interceder por você em todos meus campos de fé …
    Você merece isso. muitão …
    força no megahair. bjs

  11. lud says:

    Gata,
    Ora que melhora!!! Você acaba de entrar na lista das minhas poderosas orações-pedintes ao Cristo Rei.
    Elas não costumam falhar (mas às vezes as bênçãos vêm em forma da mudanças, só depois a gente percebe que era uma bênção)!

  12. Andrea says:

    Calma….Tudo passa. Quando vc menos esperar vai reler esse post e sua vida vai esta melhor. Tenho um trabalho e nao estou na minha area que Servico social. Mas acredito que mudanças acontecerão e tenho certeza que ainda vamos ter trabalho que nos traz realizações profissional e financeira….bis Andrea

  13. Mariana says:

    O que você acha Fernanda?
    “Em jornalismo é antiético precificar opinião, uma vez que sua base é justamente a isenção de comprometimento. São regras tradicionais, que existem desde os tempos de Gutenberg e que precisam mesmo de guardiões de ambos os lados do balcão. […] Dada a brecha, há quem misture as bolas e comercialize o que deveria ser apenas uma opinião pessoal. E dá dinheiro. Tem quem pague. Tem quem dê audiência. Tem que goste. E quem odeie.”
    Vogue de outubro/2012

    • Fernanda Alves says:

      Minha opinião é a seguinte: o jornalismo DEVERIA SER neutro, imparcial. Mas a verdade é que, no jornalismo, há uma série de interesses que vão além da notícia em si. E se, filosoficamente, a verdade nunca é uma só, o que ocorre é que o veículo escolhe, digamos assim, o seu melhor lado. Eu me formei em jornalismo, trabalhei em assessoria de imprensa… então acabei vendo que, muitas vezes, as pessoas vendem sua opinião sim. Não necessariamente por dinheiro, mas por interesse, por gosto, por uma força maior (a do veículo que edita o que você escreve)… Mesmo quando essa parcialidade não é declarada. Por isso, nesse mundo a gente tem que ler tudo (tudo mesmo) com uma visão crítica, e não acreditar de primeira que aquilo é verdade só pq está no jornal.
      No meio da moda então, isenção e imparcialidade praticamente não existem.

  14. Marcia Barbosa says:

    Oi Feeee,
    Eu começo a chorar agora ou espero mais um pouquinho?
    Meu sonho é começar a sofrer esses perrengues de trabalhador. Mas nãp esquecendo que quero sofrer sendo funcionária pública, porque pelo menos terei o meu garantido no final do mês.
    Eu choro todo dia, rezo e nada! No final fico deprimida por continuar estudando, perdendo a minha “juventude” e não arrumo um trabalho.
    Vai por mim, isso vai mudar. Daqui a pouco você estará escrevendo um post sobre como o seu trabalho está cansativo.
    Aguenta isso por enquanto ou muda de profissão. Eu sei q você não quer isso, mas….
    Beijos
    Marcia

  15. says:

    Não tenho certeza se foi mesmo o Dalai Lama quem disse isso, mas eu gosto bastante: “Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito: um se chama ontem e o outro se chama amanhã. Portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.”

    Persevere, estude, seja aberta a novas oportunidades, por mais estranhas que pareçam, conheça pessoas e mantenha sempre o foco, Fê. Sua hora vai chegar, não tenho dúvidas disso.

    E quando você cansar da sua comida, vamos tomar um sopão aqui embaixo rs.
    Beijos!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s