Mês dos importados :: Curlesque

Finge que você acordou hoje e descobriu que ainda estamos em novembro, tá? Não porque você está louca ou o mundo acabou e estamos todos em um limbo tipo ilha de Lost, mas porque eu deixei de postar tem tempo e prometi 4 produtos importados no mês de novembro. Pode ser? Beleza, estamos em novembro.

Cabelón{Para quem está chegando agora: durante o mês de novembro, dedico o momento cabelón a resenhas de produtos importados. O 1º post foi sobre a minha experiência mal sucedida com o B’Leave-in da Deva Curl  e o segundo sobre o creme de hidratação Yummy Hair}

.

Creme importado bom é aquela coisa: você usa pouquinho, em dias especiais, mesmo que não tenha comprado ele. Esse, no caso, eu ganhei de presente da minha cunhada querida. E olha, recomendo de olhos fechados – e cachos incríveis!

IMG_5404

.

Vamos começar pela marca: a TIGI é referência em bons produtos, principalmente para cabelos cacheados. Já usei o Small Talk, Bed Head e o Curls Rock, que são muito, muito bons. Entre os produtos importados, acredito que esses tenham o melhor custo benefício – não por serem baratíssimos, mas por renderem toda vida. O Curlesque, finalizador da linha Catwalk, não foge à regra.

[Eu gosto muito de separar os tipos de creme entre de estrutura e de acabamento ou finalização, mesmo sendo uma nomenclatura totalmente inventada por mim. Chamo de estrutura cremes como o Mariana e o Leave in da linha AMO, por exemplo. São cremes que você geralmente usa em quantidade e no cabelo todo, cremes mais fluidos. Os de acabamento você geralmente só usa em penteados ou em partes mais ressecadas do cabelo. Isso porque, se usados em quantidade, esses cremes deixam um aspecto plastificado e artificial, como cabelo de boneca. Falei mais sobre esses tipos de creme nesse post super antigão.]

Bom, vamos ao creme. Uso ele somente na frente e nas pontas do cabelo, que são as partes mais ressecadas. Logo que seca, o cabelo fica com os cachos bem durinhos, então rola dar aquela soltada com a ponta dos dedos. Depois de secos e soltos, ALEGRIA! os cachos ficam lindos e sobrevivem a tudo: vento, calor, chuva, raios e trovoadas. Gosto de usar naqueles dias que eu sei que serão longos, como foi o caso desse dia da foto:

egotrip.

Nesse dia eu estava em um freela de produção que foi até às 23h (isso pq começou às 9h e eu acordei às 6h). Minhas olheiras, pele oleosa e unhas descascadas (ui, vão me zoar na internet!) me denunciam – mas meu cabelo não. Reparem como até os fios da frente, mais claros e secos, estão super definidos, cacheadinhos.

Eu suuuuper recomendo esse creme para dias longos de trabalho e festas incríveis que exigem danças performáticas. Pra sacudir o cabelón sem medo de ser feliz!

O Curlesque – Curls Rock Amplifier está à venda no site da Sephora por R$ 116 e por US$ 20 no Feelunique. Li críticas positivas de outras cacheadas e crespas nesse e nesse blog (fala da linha toda e da fórmula dos produtos).

Alguém por aqui já usou?

Resultado!

Demorou, mas eu tô aqui! Em primeiro lugar, obrigada pela participação de vocês! Os posts do Momento Cabelón sempre representam pico de audiência e comentários aqui, fico muito feliz por estar agradando 🙂 E as respostas de vocês foram tão bacanas que eu resolvi presentear não uma, mas duas leitoras!!

QUE RUFEM OS TAMBORES!

.

As vencedoras são:

Jaciara Cruz dos Santos, morry com seu comentário! Lei de Murphy total! O 1º pote é seu!

.

Noemi Ferreira dos Santos, achei fofa demais vc chamando seu cabelo de bebê! E um bebê gordito, pq quer viver de margarina! O 2º pote é seu!

.

Meninas, já mando e-mail para vocês me passarem seu endereço, ok?

.

** Mais participação das leitoras! **

Queridas, quem tem uma história bacana de cabelón pra contar? A tag Minha História, Meu Cabelón vai voltar agora no fim do ano! Para as meninas que quiserem compartilhar suas aventuras (e desventuras) capilares, é só mandar e-mail para soshopaholic@gmail.com. E não esqueçam de mandar bastantes fotos para ilustrar!

Mês dos importados :: Yummy Hair

 

{Para quem está chegando agora: durante o mês de novembro, dedico o momento cabelón a resenhas de produtos importados. O 1º post foi sobre a minha experiência mal sucedida com o B’Leave-in da Deva Curl e várias meninas compartilharam suas experiências com produtos da marca, foi bem legal}

;

Eu adoro entrar em perfumarias e comprar produtos randomicamente, sem prévia indicação. Nessas horas, bato papo com as vendedoras, procuro saber o que vende mais, sinto o cheiro dos produtos, analiso a consistência (oleoso, muito fluido, muito grosso, gel…) e, claro, sempre paro nas embalagens mais bonitinhas. Foi assim que acabei comprando o Yummy Hair.

Sim, essa fofura é um creme de cabelo que vem numa embalagem parecida com a de um iogurte. É pequenininho (tem 250ml) e caro (me custou uns R$ 70), mas incrível. Começa com um cheiro rico de essência de macadâmia e uma consistência suuuuper grossa. Isso significa que o diminuto potinho dura como nenhum outro creme. Uso duas bolinhas do tamanho daquele biscoito amandita e consigo massagear todo o cabelo.

Vamos ao que o fabricante nos informa:

A base de iogurte natural (orgânico) com AHA nutre e repara os cabelos secos e danificados. A manteiga de karité, óleo de macadâmia e óleo de abacate fornecem os nutrientes e hidratação para os cabelos deixando-os mais macios e brilhosos.

Olha, ele super cumpre o que promete, e é o meu creme de hidratação preferido. Não precisa de mais de 5 minutos agindo no cabelo (eu sempre deixo um pouco mais…), o que faz dele bem prático. Há momentos em que eu aplico ele enquanto me arrumo e, depois de pronta, só enxáguo rapidamente antes de me maquiar, coloco o leave in e o cabelo está brilhando!

O Yummy Hair é fabricado pela Shaan Honq, mesma empresa que produz o RD, um dos cremes mais recomendados por aí. Ainda não usei (também é caro), mas já ouvi maravilhas de meninas com cabelos lisos, crespos, cacheados, escovados, tingidos, relaxados… Quem sabe não me animo a comprá-lo depois dessa experiência positiva como Yummy?

.

Onde encontrar?

Eu comprei esse produto na Nova Mulher Cosméticos, aqui na Tijuca. Você encontra o Yummy em perfumarias que vendam produtos importados.

 

Test Drive :: Deva Curl B’Leave-in

Eu recomendo muito creme barato aqui no blog por dois motivos: 1) não sou rica; 2) meu cabelo se dá bem com as baratezas. No entanto, isso não quer dizer que eu não tenha meus luxos e não use alguns produtinhos importados. Por isso, durante o mês de novembro farei posts semanais com produtos gringos que uso/já usei nos fios, e apresentar os resultados por aqui. Espero que gostem!

.

Eu lembro exatamente do dia em que ouvi falar dos produtos da Deva Curl. Eu ainda morava com os meus pais e minha mãe tinha separado uma matéria sobre cabelos cacheados para me mostrar (ela tem esse hábito até hoje, mesmo estando longe sempre separa recortes pra mim ♥) que citava a criadora da marca, Lorraine Massey, e seus produtos revolucionários. Foi a primeira vez que ouvi falar de No Poo Low Poo, de produtos sem sulfatos, e aquilo fez meus olhos brilharem.

Só que eu nunca vi os produtos da Deva para vender. Achava inatingível, tinha preguiça de comprar em sites gringos e, satisfeita com os produtos naturais, nunca corri muito atrás (vamos ser honestas), até ver as embalagens em uma perfumaria chiquezinha e cheia de novidades que tem aqui perto de casa.

Eu tinha acabado de receber por alguns freelas em produção de moda (sigo ralando, galera, um dia vai dar certo) e estava me achando rica (isso também acontece com vocês no payday?), então paguei R$ 46 pelo potinho do Deva Curl B’Leave-in.

.

kuén, kuén, kuén

.

Logo que comprei, quis usar e me ferrei. Passei no cabelo quase seco, como geralmente faço – e, em cremes mais emolientes, como o Mariana e a linha AMO, super funciona – e o resultado foi desastroso. Nem cheguei a fotografar. O cabelo ficou todo deformado, grudado, como se estivesse plastificado. E o toque era super áspero, como se o cabelo estivesse bem ressecado.

Antes de tentar usar pela segunda vez, pesquisei bastante pela internet e vi que o produto precisa ser aplicado no cabelo quase pingando, como no vídeo:

isso não é nada prático

Usei, sequei com o plopping e, dessa vez, o cabelo até cacheou bonitinho, mas não durou. Sabe quando os cachos vão se desfazendo, tipo se esfarelando?

Da terceira vez, passei o leave in de Quina Rosa da Haskell com o cabelo encharcado e, por cima, o Deva Curl B’Leave in. Pouca coisa mudou. Tirei a foto (acima) no meio de um dia corrido de trabalho com produção, e não dá pra ver exatamente como ficou, mas não ficou bom. Reparem no frizz. A textura também estava estranha, e dava a impressão que, com um ventinho, os cachos iriam se desfazer – o que lentamente foi acontecendo – então acabei amarrando o cabelo em um coque alto.

De pontos positivos, achei o perfume (incrível, de capim limão, puro frescor) e o fato de ser o único creme que, até hoje, aumentou o volume do meu cabelo. As brasileiras, no geral, associam “ativador de cachos” a “controle de volume” e, oras, eu não quero controlar volume coisa nenhuma. E o Deva parece que dobra o volume natural a medida que vai secando. Pena que o resto não funcionou.

.

OBS.: Alguém aí já experimentou outros produtos da Deva Curl? Pq eu ainda não desisti, viu?

RIP, Mariana

Eu lembro bem a primeira vez que vi o Mariana, creme para pentear da Amend. Em sua bizarra embalagem de margarina, ele estava na bancada do banheiro da casa do meu namorado. A irmã dele tinha comprado.

Olhei, testei, me apaixonei e comprei. Em uma época em que orkut era rei, descobri uma legião de meninas cacheadas que também não queriam saber de outra coisa. Bom, bonito e barato, o Mariana tinha até comunidade naquela rede social: gente de todo o Brasil trocava dicas de uso, de pontos de venda e diferenças de preço de acordo com o estado. Tudo isso de forma independente, uma vez que o site do fabricante sequer informava sobre. O Mariana era o filho pobrinho da Amend.

Desde então, não passou uma cacheada que não recebesse a minha dica – compra o Mariana, minha filha, você não vai se arrepender. Minha mãe virou cliente, ia no Centro e comprava 2, 3 potes de uma vez. Alternava com outros cremes mas, sempre que meu cabelo cansava, eu voltava para o Mari, meu creme querido.

Acho que o único problema do Mariana era a distribuição. Quando trabalhei em uma rede de lojas de varejo, cheguei a tentar convencer o comprador de produtos de higiene & beleza a investir no Mariana. Mas, ao ver a embalagem de margarina, ele não levou fé. A amend faz coisa melhor do que isso! e ficou por aí, apesar dos meus apelos.

Depois de anos, é com tristeza que eu aviso, minha gente: o Mariana parou de ser fabricado.

.

.

Quem confirma é a assessora da marca, que completa: “sempre recebo e-mails dizendo o quanto ele é adorado!”. Como é que a gente faz, povo? O creme é bom, é barato, o povo ama, faz comunidade no orkut, recomenda em blog, compra litros e aí… a marca resolve descontinuar. Não entra na minha cabeça. Fiquei triste. #voltamariana

Saí feito louca por aí comprando as últimas unidades em pequenas perfumarias. Só consegui uns 3 potes. E resolvi dividir um com você, leitora, que nunca experimentou essa beleza. Então vai rolar um mini concurso cultural com sérias restrições orçamentárias, tá bom? Não quero ninguém reclamando que ain, Fernanda tá sorteando creme de 10 reais pq né, o creme é bom, você não vai mais achar e cavalo dado não se olha os dentes!

Para ganhar esse creminho aí da foto é só falar:

E me conta!

Mas atenção: Só serão aceitas respostas nos comentários desse post ou no twitter, usando a hashtag #voltamariana. Sejam criativas e respondam até o meio-dia dessa sexta, dia 02! A resposta mais legal vai levar o creminho 🙂 Não esqueçam de colocar o e-mail no formulário de comentário.

Beijos, sorte e snif ;(

Code blue! Code blue!

Você ama seus cachos, mas acha que eles precisam de hidratação, definição, em resumo: creme. Aí você vai lá, amiga cacheada, e lota o cabelo de creme. Lota, lota, lota, sem medo de meter a mão no pote. Sai feliz da vida com o cabelo molhado mesmo, mas na esperança de que aquele creme vai te salvar, manter teus cachos organizados, disciplinados, bonitos e brilhantes.

Só que não. Não existe um jeito delicado de falar isso, amiga leitora: seu cabelo seca, lotado de creme, e fica com cara de miojo cru – grudadinho, enroladinho, esperando a panela de água quente.

TAPA NA CARA DA SOCIEDADE! TAPA NA CARA DAS CACHEADAS E CRESPAS! CORRAM PARA AS MONTANHAS!

Outra opção possível é passar bastante, mas bastante creme no cabelo molhado, sair bêbada de leave in e mandar um estilo soul glo:

.

Calma, gente, não enlouqueci! Mas é o seguinte: miojo cru e soul glo não são opções para nós, meninas modernas, cacheadas, cheias de estilo e atitude. Queremos nossos cachos soltos como em propaganda de shampoo (tem alguma com meninas crespas? eu nunca vi)! Queremos também definição e brilho! Para isso, eu tenho algumas dicas:

1) Experimente secar bem o cabelo antes de passar o leave in. Se está pingando, seque mais.

2) Não exagere no creme. No fim de semana, em casa, experimente colocar um pouco menos, um pouco menos ainda, até chegar na quantidade ideal.

3) Depois que o cabelo tiver secado (ao natural ou com secador), solte os cachos com os dedos:

.

Muita gente fica receosa de mexer no cabelo achando que vai ficar muito armado ou vai desfazer os cachos. Vamos perder esse medinho, oras! Evite tocar no cabelo quando ele estiver molhado, com creme. Depois de seco, tá liberado! Soltem esses cachos!

.

Combinado?

Test Drive :: Linha AMO, da Yenzah

A gente sabe desde sempre que cabelo cacheado merece cuidados especiais – não dá para simplesmente lavar com shampoo e sair ao vento – no entanto, muitas vezes a gente se prende a linhas de produtos voltadas apenas a cabelos cacheados e deixa de olhar em volta. Por isso hoje indico uma linha voltada não somente aos cachinhos, mas a todos os cabelos que precisam de hidratação constante.

Eu já conhecia a Yenzah de outros carnavais – a linha deles para cabelos cacheados é muito boa – e confesso que as embalagens verdinhas chamaram a minha atenção na prateleira da farmácia. O pessoal do marketing me mandou a linha AMO para experimentar e eu gostei bastante.

A linha é super completa, com shampoo, condicionador, creme sem enxague (leave in), óleo de tratamento e creme de hidratação. Os preços variam entre R$ 25 e 30, pelo que vi aqui pelo RJ (vende nas Drogarias Venâncio e em perfumarias). Os produtos são feitos a base de óleo de macadâmia e enriquecidos com óleo de argan que, segundo o fabricante…

A MACADÂMIA é considerada a rainha das amêndoas. O óleo da MACADÂMIA possui mais nutrientes do que qualquer outro! Australian Macadâmia Oil (AMO) é riquíssimo em gorduras insaturadas, antioxidantes e Ômega 7. O resultado é um toque suave e leve (ALTA ABSORÇÃO), reposição e retenção da água nos fios (HIDRATAÇÃO MÁXIMA E PROLONGADA), eliminando o ressecamento, frizz, pontas duplas e queda por quebra. Um óleo espetacular! Muito brilho, sedosidade, maciez, controle e definição dos cabelos! E além de tudo, AMO YENZAH foi enriquecido com óleo de Argan e filtro solar.

Principais benefícios de AMO Yenzah:

  • Possui alta concentração de gorduras insaturadas (80-85%), sendo facilmente absorvido pelo cabelo;
  • Cabelos hidratados ao máximo sem pesar, é extremamente leve;
  • Deixa os cabelos hidratados por mais tempo, hidrata enquanto retém a água nos cabelos por tempo prolongado (retenção hídrica);
  • Elimina as pontas duplas e o frizz;
  • Protege os fios da ação dos raios UV;
  • Brilho, maciez e definição dos fios.

Diferencias de AMO Yenzah:

  • Ômega 7 (ácido palmitoleico): A Macadâmia é a única castanha rica em Ômega 7, um ácido graxo responsável pela retenção de água no nosso corpo e manutenção da hidratação. Nós produzimos este ácido em abundância até os 30 anos, mas depois dessa idade, a produção dele quase desaparece.
  • Ômega 9 (ácido oleico): Extremamente lubrificante e emoliente, devolve o brilho e a suavidade aos fios.
  • Ômega 6 (ácido linoleico): Fortalece a fibra capilar, evita a quebra e reestrutura o fio.
  • Vitamina A: Outro poderoso antioxidante age nos fios impedindo seu envelhecimento e perda da maleabilidade.
  • Vitamina E: Poderoso Antioxidante age impedindo a ação dos radicais livres que causam o envelhecimento da fibra capilar.
  • AMO Yenzah foi enriquecido com óleo de Argan, que potencializa a nutrição, proteção, além de reparar o folículo piloso.

E o que eu achei?

Shampoo e Condicionador :: São craques para quem precisa desembaraçar o cabelo. O shampoo é bem normal (nunca vejo muita diferença em shampoo, pra ser bem honesta), mas o condicionador sim, dá conta do recado. É grosso e tem um perfume muito gostoso (como os demais produtos da linha)

Creme Leave in – Hidratação máxima :: Eu fiquei bem surpresa com os resultados desse creme no meu cabelo. É o tipo de creme que você precisa saber dosar, sabe? Mesmo não se tratando de um ativador de cachos, deixou os meus bem definidinhos. Tendo protetor solar, achei ideal para o verão e dias em que passo correndo na rua!

Máscara de Hidratação Máxima :: usei combinada com o óleo, e achei bem satisfatória. Uma boa máscara, numa consistência correspondente. O resultado foi bom, deixou o cabelo bem brilhante. No entanto, meu cabelo não está no auge do ressecamento – vamos ver no verão, com praia toda semana, quando o cabelo fica aquela palha!

Óleo concentrado de macadâmia :: Depois do leave in, foi o produto que mais gostei. Não é muito grosso como os demais óleos/reparadores de pontas/silicones a que estou acostumada. É mais fluido e absorvido bem rápido. Usei algumas gotinhas diluídas na máscara de hidratação e fiquei bem satisfeita. Já usei também combinadoa outros leave ins o cabelo ficou soltinho, sem pesar.

.

Então é isso, gente, recomendo bastante a linha AMO, da Yenzah! Alguém aí já tinha experimentado os produtos?

Meus produtos do mês!

Semana passada minha chunhada operou – precisou tirar a vesícula – e ficou tudo meio tenso por aqui, não teve como postar. Mas agora está tudo bem – obrigada aos votos de melhoras, pessoal – e eu voltei com força total!

Resolvi fazer uma semana inteirinha de posts sobre o cabelón: vai ter vídeo, história de leitora, penteadinho e dicas. Para que dê tudo certo, preciso da ajuda de vocês! O que querem ver por aqui? Me ajudem a fazer um blog sempre melhor 🙂

Eu comecei a fazer esses vídeos sobre os produtos que uso há um ano, mas nunca consigo fazer da forma que queria (um vídeo por mês). Sou uma blogueira capenga, vocês bem sabem. Mas de vez em quando tento me redimir! Por isso, fiz esse vídeo com os produtos que tenho usado recentemente – saiba se eles podem ser seus amigos também!

.

Alguém já usou esses produtos? Gosta? Vamos trocar impressões nos comentários?

 

 

 

 

Tudo sobre o meu Cabelón!

Eu recebo, toda semana, e-mails com perguntas sobre o meu cabelo. O que eu faço, que salão eu vou, quais produtos eu estou usando. Longe de mim reclamar dessa demanda, imagina! O problema é que, às vezes, os e-mails passam desapercebidos, vão parar no spam, ou então eu esqueço de responder – nada profissional, eu sei. Para quem passou por isso, fica aqui o meu pedido de desculpas: um mega post, super completo, com as principais perguntas sobre o meu cabelón! As informações estão atualizadas e valem para o Rio de Janeiro, onde eu moro 🙂 Vou colocar um atalho aqui no menu lateral para facilitar o acesso, ok?

.

Seu cabelo sempre foi assim? Não! Comecei a fazer relaxamento com uns 10 anos, levada pela minha mãe. Passei toda a infância e adolescência com os cabelos mais pra frizados, sabe? Quase lisos, muitas vezes. Cheguei a intercalar a química com tranças, cheguei a usar megahair, mas a química estava lá, constante. Só lá pro fim da faculdade que eu voltei a usar tranças e, ao retirá-las, me deparei com o meu cabelo natural, bem curtinho. Ele estava bem ressecado e maltratado, mas fui cuidando e ele foi crescendo. Deve ter uns 5 anos que uso ele natural. (você pode ver fotos que contam a história nesse post.)

Você faz relaxamento? Permanente? Não.

Que dicas você dá para quem está no processo de transição, largando a química? Não sei se chega a ser uma dica, é mais um testemunho: eu cortei o cabelo curtinho. Não foi fácil, mas eu me descobri muito, acho que foi muito importante. E olha, nunca recebi tantos elogios como quando decidi ficar com o cabelo natural. (Para quem não quer passar por isso, super recomendo usar tranças! usei tranças por 2 anos e amava. Fiz um post com um monte de imagens.)

O que você faz nele atualmente? Eu pinto a raiz (Richesse 8.02), que é bem escura, e faço mechas (Descolorante Platinum, da L’oreal, sem amônia). No final, jogo um tonalizante (Richesse, linha Milk Shakes 9.02) em tudo. Faço isso no salão, em casa é tenso! Como o processo todo é muito demorado (cerca de 4horas) e caro, acabo retocando com o profissional apenas 2 vezes por ano (às vezes retoco a raiz em casa, às vezes deixo pretona mesmo).

E a manutenção? Uso um tonalizante (Richesse, linha Milk Shakes 9.02) a cada 2 meses. Se estiver muito amarelo, uso o Kit Desamarelador da Altamoda. Vende na Lojas Americanas por R$10.

Que salões você recomenda? Já fiz o cabelo (tintura e mechas) e fiquei bem satisfeita com esses salões:

  • Instituto L’oréal – lá você é atendida por trainees em fase final de formação, supervisionados por um professor (não tem risco de estragarem seu cabelo, tá?), com isso os preços são bem bacanas. Todos os produtos usados são da linha L’oréal Professionnel. –  Rua Carlos de Vasconcelos, 145 – Praça Saens Peña (fica bem na saída do metrô) – Tel. (21) 3437-9695
  • Hans Coiffeur – fiz com o Ronaldo, que é muito craque! – Rua Real Grandeza, 193 – Botafogo

Você faz o seu cabelo no Beleza Natural? Não – eles pararam de oferecer o serviço de coloração. Só uso os produtos vendidos no salão;

Que creme(s) você usa para manter os cabelos cacheados? Já usei e aprovei os seguintes cremes:

  • Leave in do salão Beleza Natural
  • Mariana;
  • Active Gloss da Elisafer;
  • Seda Cachos Comportados e Definidos;
  • Linha para cachos da Trilogia;
  • Finalizador da Haskell;
  • Leave in para cachos da Yenzah;
  • Small Talk, da TIGI;
  • Curlesque, da linha Catwalk, da TIGI.

E para hidratar? Dificilmente vou ao salão para hidratar o cabelo, geralmente uma vez a cada 2 ou 3 meses, ou então quando vou retocar as mechas (nesse dia o cabelo fica tão destruído que mal cacheia!), então hidrato o cabelo em casa, uma vez por semana. Lavo com shampoo, seco bem e aplico a máscara mecha a mecha, manipulando bastante. Deixo agir (às vezes bem mais do que o recomendado na embalagem), depois enxáguo e penteio.

Que cremes você recomenda para a hidratação em casa?

  • Creme com óleo de argan da Yenzah;
  • Yummi
  • Linha de Macadâmia da Haskell

Você costuma usar penteados? Quais? Na verdade, eu geralmente uso o cabelo solto, acho que o black por si só é quase um acessório, um penteado pronto. A questão é que, como tenho mechas, muitas vezes a frente do meu cabelo fica muito detonada e seca. Assim, no decorrer do dia posso prender o cabelo com um coque, uma trancinha só na franja,  usar uma faixa… até turbante eu já fiz! (você pode ver todos os penteados e dicas no meu canal de vídeos no Youtube). Mas não é uma coisa de todos os dias.

Você indica outros blogs de meninas negras, cacheadas ou crespas com dicas legais? Sim!

  • Tem o da Gisella Francisca, com looks do dia inspiradores e maquiagens que saem do lugar comum.
  • O site da Cinthya Rachel é praticamente uma central de dicas de cuidados de beleza para cabelos afro e pele negra.
  • O Natural Belle é um blog gringo que fala de tudo um pouco, de tapete vermelho a dicas de produtos.
  • Recentemente descobri o canal de vídeos Fusion of Cultures que tem um monte de tutoriais de penteados e turbantes. Saí apaixonada pela menina.

Para ter sempre à mão!

Eu costumo andar com o cabelo lindo, leve e solto,  secando ao vento, selvagem. Mas a vida real nem sempre é tão linda quanto essa frase, então muitas vezes meu cabelo seca estranho, com pedaços mais definidos que outros, e o resultado não é tão bacana. Por isso, além do elástico que sempre está no meu pulso (dá só um zoom nos meus looks e você vai ver ele sempre lá, misturado às pulseiras), às vezes eu lanço mão de outros itens para dar um jeito no cabelón e manter o estilo (nada de piranha de cabelereiro, nada de lápis enfiado de qualquer jeito, gente!). Chamo esses itens de “Salvadores”. Querem conhecer?

.

Eu antes, tinha acabado de acordar, veem como estou semeando amor?

.

Agora, os amigos pra transformar a gente (além da maquiagem, que sempre ajuda):

.

E vocês, tem salvadores? Já experimentaram esse produtinho da Seda? Fica a dica, salva muuuuito!

[E para mais fotos, closes e explicações de penteados, corre lá na Fan Page do blog!)

Beijos

.
;

P.S.: Tem post novo lá no blog do vestido viajante!

.

.

Esse é um publipost?
Sim, é um post feito com patrocínio de Seda.