Finalmente, a minha penteadeira!

Eu tenho um problema sério com organização: é que procrastinar os trabalhos de casa é automático pra mim. Vou empurrando com a barriga e, quando vou ver, passou um ano inteiro e eu não fiz o que tinha prometido. Foi o que aconteceu com a minha penteadeira, que ficou quase um ano e meio na casa dos meus pais, mesmo depois de toda a minha mudança para morar com o João.

Quando eu estive em um brechó muito bacana que tem aqui na Tijuca, o Brechó do Casarão (onde comprei essa jaqueta aqui) soube que eles também restauravam móveis. Olhei alguns que eles tinham à venda e gostei bastante do resultado. Decidi que lá seria o lugar para reformar minha penteadeira. O resto foi usar a criatividade!

.

.

.

O trabalho ficou pronto em uns 5 dias e eu paguei o frete por fora. Como o brechó é pertinho daqui de casa, acompanhei a transformação de perto e, quando vi a cor linda que a madeira originalmente tinha, achei interessante deixar alguns pedaços ao natural. Ficou como uma moldura no espelho e nas gavetinhas – que, aliás, receberão puxadores novos assim que eu tiver a oportunidade. E sabe o que é mais legal? Eu finalmente tenho USADO a penteadeira! Em anos de adolescente bagunceira, o móvel ficava repleto de cosméticos, potes vazios, e a cadeira estava sempre cheia de roupas – agora o João fica super em cima e briga sempre que eu começo a pirar. Oba!

.

P.S.: Vocês pediram mais posts sobre a casa, né? Tô pensando em outros para mostrar por aqui 🙂

Transformando mais!

Quando eu consegui alugar esse apartamento, as amigas bem que avisaram: toda sua compulsão por roupas vai se converter em coisas para a casa! Eu tive minhas dúvidas. Mas olha, completando um mês morando aqui (mais ou menos) eu preciso dizer que compulsão é pouco. Eu estou em um vício absurdo por blogs de decoração e sempre quero ouvir dicas, ver DIYs e todo tipo de transformação de móvel, achado vintage, solução para ambientes pequenos (se bem que acho o tamanho do meu ap ótimo), tudo. E as pequenas bobagenzinhas de decoração ganham o meu coração de uma forma que é difícil explicar. Então é mais ou menos assim: mesmo que o objeto não tenha láá muita utilidade além de enfeitar o ambiente, eu acho lindo e quero pra minha casa. Se for barato então, ferrou, é meu.

E foi assim com o quadro negro. Desde sempre eu queria um quadro negro na cozinha, que nem via nos sites gringos:

,

.

Pensei em pintar um quadrinho, de pintar um parede, de pintar a porta do armário… sim, pq é bem simples, existe até uma tinta pra isso, preta fosca. No entanto, minha gente, eu me conheço. Eu começo os projetos e não termino, a tinta ia ficar encostada para sempre até eu ter tempo/paciência/jornal no chão para fazer o movimento. Então lembrei que, quando era criança, eu tinha um quadrinho negro! Eu brincava de escolinha e dava aulas para minhas bonecas – e eventualmente para os meus irmãos, que odiavam e era obrigados por mim. sempre fui mandona – então será que as crianças hoje ainda brincam disso?

Corri no Saara e, como sempre, ele não me decepcionou. Encontrei um quadrinho de criança por menos de dez reais! Depois foi só pintar a moldurinha de amarelo (tenho uma faixa de ladrilhos amarelos na cozinha) e voilà!

.

.

Uso sempre sempre sempre: para menus, recados e declarações de amor 🙂

.

.

.

Tá lindão, acima da mesa da cozinha (aquela, de fórmica, lembram?)

.

A 1ª transformação do meu apê!

Dizer que isso é uma transformação, assim, TRANSFORMAÇÃO é demais. Mas vá. Vocês sempre perguntam do apartamento e eu sempre quero falar sobre ele. Então, né, qualquer coisinha é motivo de post.

Eu preciso dizer que estou in love com a minha cozinha. Talvez por ser o cômodo mais aparelhado da casa, com fogão, geladeira e agora uma mesa (ainda sem cadeiras), talvez por eu ter me tornado uma maníaca por limpeza, o fato é que eu amo muito esse cantinho. O proprietário derrubou o banheiro de empregada (acho tão colonial empregada morando em casa de patrão, mas isso é assunto pra outro post) e deixou a área de serviço bem grande e comunicável com a cozinha. Acho lindo. A área também tem um janelão que dá vista pra entrada do prédio ao lado, então nada de serviços domésticos em clima naturista, amigues.

.

.

Sei que a escada tosca tá no meio do caminho, mas é que tirei essa foto com outros propósitos. Enfim. Não é bacana a passagem? E a entrada de serviço fica logo ali à esquerda.

Como contei pra vocês, desde que comecei a ver blogs de decoração, fiquei louca por uma série de coisas. Uma delas são pisca-piscas. Daqui a pouco tô que nem a amigue do Casa de Colorir, essa sim uma viciada em piscas (RESPECT!). Então eu já tinha comprado uns bem bonitinhos, de frutinhas, logo depois do Natal. Usava no meu quarto e tinha certeza que, no dia em que encontrasse o meu novo lar, levaria comigo minhas luzezinhas:

.

.

Ainda falta mostrar pra vocês como ficou com as florzinhas (comprei temperos também, mas MORRERAM! Ai!) e com outras pequenas melhoras. Mas os pisca-piscas… ah, esses danadinhos ficaram lindos, não acham?

.

Dona Nininha tem poder!

Não sei se deu pra perceber pelo conteúdo dos posts dos últimos dias, mas a verdade é que estou meio pra baixo. Tem a ver com um monte de coisas, incluindo o apartamento (ausência de), meu trabalho, e até a falta do meu amado celular. Parece que junta tudo, sabe? Acho que estou precisando de férias, isso sim. O bom é que elas estão chegando.

Mas acho que a minha sorte (e o meu humor) estão mudando. Ontem finalmente consegui comprar meu celular novo, olha que maravilha. Estava desde dezembro praticamente incomunicável, contando com os poucos orelhões que ainda funcionam nessa cidade. Fiquei tão feliz que falei pro moço da loja (que praticamente virou meu best) que ia dormir abraçada com o meu telefone, e o cara meio que acreditou. hahahaha. Fiquei tipo criança com um brinquedo novo.

Mas então. Vamos sacodir a poeira que o Carnaval vem aí, minhas férias também, e eu vou encontrar meu ap (aliás, gente, as leitoras do SS! são as melhores do mundo, viu? Vocês me deram muita força e me fizeram sorrir a cada comentário nesse post. Obrigada). Por isso, venho aqui lançar novidade! Sim, uma tag nova (tô viciada?), yay! E essa tag é um oferecimento de Dona Nininha, pq sem ela nada disso seria possível:

.

Pra você que não aguenta mais as roupas que tem no armário!!

.

Sabe aquela roupa que tem um potencial, mas que você não usa mais? Fica com pena de se livrar da peça, acha que ela merece uma transformação? Então vem comeego, vem transformar com a Shopaholic, vem!

.

Esse vestidinho, da Checklist, foi uma das primeiras peças que comprei com meu suado dinheirinho, na época da faculdade. Larguinho e com uma certa pegada militar, era usado em todo lugar. Mas eis que o tempo passou, eu engordei, o vestido de repente pareceu muito curto pra todo esse conjunto aqui. Então parei de usar.

Folheando as páginas da Estilo, vi um monte de casaquetos usados sobre vestidos, e achei que seria uma boa aquisição. Mas pra quê adquirir se dava pra quebrar um galho em casa mesmo? Transformar o vestidinho encostado foi a solução. Tiramos o babado da barra e abrimos no meio do vestido. Querem ver como ficou?

.