Cresce, cabelo, cresce!

 

.

(também aceitava o corpitcho)

Começando uma mandinga pro cabelo crescer em 5, 4, 3, 2…

.

__________________________________________________________________________

Gentem, o blog está meio parado de looks esses dias pq eu tô sem câmera! A minha quebrou e eu estava usando a da minha mãe, mas né… ela nem sempre colabora. Ou quase nunca. Mas isso é papo para outro post 😦 Voltaremos à programação normal assim que a Kodak resolver meu problema! Bjs.

Advertisements

Tô lisa!

É gente, lembram do casamento do fim de semana? Então. Fiz escova no sábado e, na segunda, tava lisa. Só lavei o cabelo no fim do dia. Isso significa que passei um dia inteiro de convívio social lisa, lisinha. Estão curiosas? Querem ver? Olhaê:

.

.

.

,

Agora, vamos aos fatos: o que eu mais escuto é que cabelo escovado/liso dá menos trabalho, etc e tal. Será mesmo? Pq, assim:

– No calor do Rio de Janeiro, como faz pra não ficar com a raiz revoltada?

– E os frizz malucos que surgem no topo da cabeça e não abaixam nem com cerinha, nem com reza brava?

– E as pontas que eu nem sabia que tinha, e que gritaram (fui obrigada a cortar no dia seguinte)?!

.

Fiquei louca com esse cabelón escovado.

Praticamente A Iluminada.

É para isso que o blog existe:

.

Oi Fernanda, tudo bem? Fará um mês que conheci o seu blog e me apaixonei de cara. Adoro as dicas de look e cuidados com o cabelo que vc dá. Nasci em Nilópolis, mas desde os 2 anos moro aqui em São Paulo, capital.
 
Quero dizer que, assim como muitas garotas que visitam o seu blog, eu AMO o seu cabelo. Também tenho o cabelo crespo, mas há anos eu uso relaxamento. Fiquei dependente de escova por um bom tempo, depois resolvi deixá-lo frisado, no começo ficou bonito, mas com o tempo ele foi perdendo a forma, principalmente pela falta de cuidado.
 
Bem, essa ladainha toda é pra dizer que tomei a decisão de abandonar a química nos meus cabelos e assumi-lo ao natural graças ao seu blog. Não sei como é aí no Rio, mas aqui as negras adoram formol e chapinha. São poucos os salões especializados em cabelos étnicos, os que tem focam mais em tranças, químicas e entrelaçamentos. Como já disse, amei o seu cabelo e vc me inspirou a tomar essa decisão. Então gostaria de saber se vc usa alguma química além da tintura pra deixar os cachinhos, mas pelo que vi nas suas fotos de “antes e depois” vc deve estar com o cabelo natural mesmo. Mas nao custa nada perguntar, né? rsrsrs… Vc citou no blog alguns produtos q vc usa pra cuidar definir os cachinhos, mas queria saber mais detalhes, qual vc gosta mais.
 
Desde já agradeço a sua atenção. Parabéns pelo ótimo blog e continue assim, mostrando o que há de mais lindo na nossa raça, sem precisar perder a identidade. É como diz minha amiga, “nada de ser nega fubá” rsrsrsrs…
 
Obrigada!
Beijos!!
Aline Conceição

.

Aline querida,

São e-mails como o seu que me enchem de orgulho por ter criado o blog, por mostrar a cara, por falar tudo que vem à cabeça. Antes de tudo, obrigada.

Mas já que o assunto é cabelo, vamos ao que interessa: a idéia aqui é encher de creme mesmo, prontofalei! uahuahuha Claro que a gente tem que encontrar o melhor produto pra juba e essas coisas, mas acho que o cabelo é uma extensão da nossa personalidade, e por isso acabo mudando muito… e até estragando um pouco.

Fiz relaxamento por anos (comecei com uns 11 anos), e parei há mais ou menos 4 anos, porque coloquei tranças. Fiquei 2 anos com tranças e, quando tirei, achei que o cabelo estava bom, sabe? E meio que resolvi não fazer o relaxamento de novo, pq queria ser loira e cacheadona, tipo a Taís Araújo estava na época.

Não foi fácil não, Aline. O cabelo estava bem curtinho e seeeeco toda a vida. Fui hidratando, deixando crescer, cortando, e hoje ele é 100% relaxamento free, sabe? E estou amando tingir, coisa que nunca pude fazer por causa da mistura de químicas.

Creme de cabelo eu experimento vários. Hoje estou usando um da Altamoda, uma empresa que tb faz tintura de cabelo, e nas pontas passo um pouco do Small Talk, da Tigi, que é importado e comprei pela internet. Mas uma coisa que gosto muito de fazer é ir nessas lojas de cabelereiros e ver o que o vendedor(a) me indica – mas não vá a lojas que tem promotores! Eles vão sempre vender a marca para a qual foram contratados!

Espero ter ajudado! Qualquer dúvida é só falar!

Beeeijos

.

 Oi Fernanda!!
 
Muito obrigada por responder ao meu e-mail!
 
Amei suas dicas! Nunca usei trança no cabelo. Na infância, minha mãe usava chapinha baiana no nosso cabelo. Imagina a beleza que ele era? rsrsrs… Depois comecei a relaxar o cabelo com hidróxido de sódio e agora uso guanidina. É ótimo pra quem gosta de chapinha, mas, pelo menos no meu cabelo, não ajudava a definir os cachos. Pensei em fazer permanente, mas por ser uma química muito forte, não poderia tingir o cabelo e eu adoro tingir.
 
Semana passada fui a um salão porque viajei este final de semana para Balneário camboriu e queria dar um jeito no meu cabelo antes disso. Meu cabelo chegava na nuca e quando disse q queria cortá-lo curtinho e parar com a química, a cabeleileira só faltou me bater. Achou um absurdo eu querer parar com a química, disse q eu não aguentaria, mas fui firme e forte. Cortei o cabelo, já que a química deixou ele podre mesmo e agora vou cuidar até ele crescer bastante. Não imaginava que uma cabeleileira que se dizia “étnica” fosse tão preconceituosa quanto a isso. Ela deveria estar preparada para aceitar nosso cabelo do jeito que é, não é verdade?
 
Aqui em São Paulo tem muitas lojas assim, cheia de promotores vendendo produtos e sonhos. Muitas dessas promotoras são cabeleileiras que desistiram de trabalhar em salão, mas mesmo assim não ajudam em nada. Caí várias vezes e me decepcionei. Por isso é bom pedir a opinião de quem já usou um produto, vou seguir as suas dicas!
 
Muito obrigada mais uma vez pela atenção!! Pode usar o meu e-mail sim, com certeza! Ficarei muito feliz. Eu tenho um blog também, mas é voltado à musica. Se quiser dar uma olhadinha, o endereço é
www.daftpunkbrasil.blogspot.com .
 
Beijossss!!!
 
Aline Conceição

Hydration Power

[Os títulos americanizados desse blog estão cada vez piores!]

.

Cabelo cacheado precisa basicamente de duas coisas pra viver: água e creme. A verdade é essa. E quando o creme para de dar resultado, a gente já sabe que a secura dominou e é hora de hidratar (mas se você é uma pessoa regrada ou uma celebridade dando entrevista pra NOVA, vai dizer que faz hidratação toda semana. Tá bom.). E se você usar um produto baum, amigan, vai sentir a diferença na hora!

.

Desespero do cabelo seco.

.

Pós o Shampoo Herbal Essences (também gosto dos Cioccolato, da Alfaparf e o da Granado de Castanha do Brasil)

.

Ponto importante: eu não lavo os cabelos todos os dias. As pessoas que tem cabelo liso ou oleoso acham um absurdo, mas ado, a-ado, cada um no seu quadrado, eu não preciso dizer se tomo ou não banho, néam (nosso amigo Rob não toma banho e ainda amamos ele), então. Lavo o cabelo umas duas, no máááááximo 3 vezes por semana, isso quando está calor ou eu estou malhando. Mas deixa eu explicar pq: o cabelo crespo é mais seco por uma questão puramente física, já que a oleosidade natural da raiz tem que percorrer um caminho meeega para chegar às pontas. Esses cachos tem mais curvas que qualquer pista de Formula 1, amigo do esporte! Então pode perguntar pra qualquer crespa e ela dirá aaaai, mas meu cabelo é ressecado dimaaais.

Mas voltando. O ideal-na-vida-de-alguém-muito-regrado seria fazer uma rápida hidratação toda vez que se lava o cabelo. Sério! Por um período da minha vida, logo que tirei as tranças e comecei a usar o black, segui essa regra religiosamente, hidratando o cabelo 2 vezes por semana. Nossa, que diferença que fez!! Mas vale lembrar que nesse caso você não deve usar produtos do tipo carga de queratina, ou seu cabelo ganhará um aspecto plastificado horroroso. Use ampolinhas de hidratação e máscaras comuns, ou aqueles sachês de hidratação em casa.

.

.

Bem, depois de lavar, eu não enrolo o cabelo numa toalha feito um turbante, pois quebra os fios. O que eu aprendi com a cabelereira é que devemos apenas enrolar a toalha, mas sem torcê-la. Fica mais ou menos assim:

Coisa linda djiDeus.

.

Depois é hora de encher de creme. Mas calma! A ideia aqui é massagear bem cada mecha, e não afogar o cabelo. Leve um tempinho puxando e repuxando cada mecha. Depois é só prender (eu não uso touca térmica nem plástica) e aguardar. Eu fico às vezes a tarde toda com o creme na cabeça, mas a cabelereira já disse que isso é péssimo, e devemos seguir o tempo recomendado na embalagem meeeixmo, ou o efeito é contrário.

Eu tenho usado o creme de hidratação ultra-power lá do salão que frequento, mas uma dica que eu dou é usar o bom e velho Arovit, encontrado em farmácias em pequenas ampolas de vidro que custam menos de R$2. Muitas vezes eu passo o Arovit depois de lavar o cabelo e antes de colocar o leave in, e saio por aí. O Arovit é um concentradão de vitamina A, que faz um bem danado para o cabelo. Há quem tome cápsulas e tal, mas isso eu nunca tentei.

Muitas meninas também usam o Bepantol (Solução, nada de pomada, pelamooor), mas eu só usei uma vez e não vi muita diferença. Mas talvez eu experimente de novo (na verdade fiquei meio com um pé atrás pq tive uma alergia ao Bepantol pomada e fiquei com a boca da Angelina Jolie por um dia), talvez não. O Bulle de Beauté tem um post ótimo com dicas de uso do Bepantol.

.

Eu não dispenso as hidratações em Salão, mas acho que elas são superestimadas. Muuuuitas vezes eu já saí do Salão pior do que entrei, meu povo. Isso pq muitos cabelereiros metem o pente e acabam com os meus cachos (explico: evito ao máximo usar pente no cabelo. Desembaraço com as mãos no chuveiro e na hora de passar o creme. Isso pq com pente, por mais largo que seja, meu cabelo perde a forma e os cachinhos parecem mais frágeis.), e usam produtos inapropriados. Por isso, pense bem antes de gastar 1884675 reais em uma hidratação Swhafudeskwy da vida, às vezes ela simplesmente não foi feita pra você (meus cabelos, por exemplo, odeiam o Kérastase amarelinho, que todo mundo a-ma!).

.

E vocês, meninas, o que usam pra hidratar os cabelos?

Contexto Histórico

[Na época da escola, em todo e qualquer trabalho em que eu não tinha muito o que dizer, fazia logo uma introdução, que batizava com o pomposo título de Contexto Histórico. Idiota ou não, me salvou de algumas notas baixas.]

.semana do cabelón

Eu adoro mudar o cabelo. Adoro. Tenho preguiça de ter sempre a mesma cara, o mesmo estilo. Então passo por fases. Apresento algumas para vocês.

.

Infância

1995

Foto de 1995 – 10 anos.

.

Durante grande parte da infância meu cabelo foi assim, bem cacheadinho. Eu não odiava, mas também não amava: as crianças de cabelo liso podiam brincar de cabelereiro à vontade, enquanto eu não podia tocar nele que a coisa tomava forma, armava, um horror. Então vivia com faixas, rabos, tranças e outros penteados que minha mãe fazia – e não eram poucas as opções.

.

Início da Adolescência

1999

Foto de 1999 – 14 anos.

.

Quando o bagulho começou a ficar tenso, comecei a relaxar os cachos. Religiosamente eu ia ao salão e abaixava a raiz. Usei guanidina, hidróxido de sódio. E o relaxamento te escraviza: você não pode pintar, não pode usar qualquer outra química que o cabelo começa a cair. E quando começa a crescer, perdey playboy: tá na hora de relaxar de novo.

.

2001

.

Em um momento em que o meu cabelo estava muito fraco, apelei pras tranças. Adorei o resultado, e aí ficou assim: toda vez que estava de saco cheio de relaxar, trançava os fios.

.

2004

.

2006

.

2007

.

Já no fim da faculdade eu cheguei a usar megahair. Foram dois momentos, em 2006 e 2007.

.

2006mega

.

Cheguei a alternar com tranças e depois, quando tirei, meu cabelo estava com as pontas ainda de relaxamento. Dei a louca e cortei mesmo, tosei. Nunca tinha usado cabelo curtinho na vida, e morri de medo. A verdade é que os cabelos longos são meio que uma cortina que nos esconde, né? Dá pra fazer charme, deixar caindo no olho e tal. E o cabelo curto meio que te expõe, diz é isso mesmo que você tá vendo aí, essa sou eu, e isso dá um medinho. Mas deixa eu falar uma coisa: nunca chamei tanta atenção. Lembro que logo que comecei a usar o black usava umas roupas étnicas da Totem, tipo saião e estampas lindas. Ficava todo mundo olhando, como seu eu tivesse acabado de chegar da África, ahahhaha. Recebi muitos elogios 🙂

.

Geral 111

.

 

;

Daí que resolvi começar a pintar e não quero outra coisa (por enquanto). Eu puxo as mechas a mais ou menos 2 dedos da raiz, como se estivessem queimadas de sol mesmo. E não pinto mais que 3 vezes por ano, pq meu cabelo é muito seco e fino. Dia 28 de novembro vou dar um pulo no salão para retocar o cabelo pro fim de ano (a última vez que pintei foi em julho, se não me engano, quando cortei), e vou perguntar pra minha cabelereira do coração (Beatriz, do Beleza Natural de Ipanema) qual é a cor exata. Pq cada vez que vou lá passo uma diferente.

.

Então, depois dessa enrolação contexto histórico, me digam: qual cabelo vocês preferem? Pq?

Madeixas

Volta e meia eu recebo algum e-mail ou comentário sobre o meu cabelo. Tenho que dizer que adoro todos! Sou louca por cabelo e já mudei várias vezes.

E tenho visto muita coisa pela net também, parece que a modinha de escova-reta-pontas-furando-o-olho está passando. Temos Taís Araújo protagonizando novela com um cabelo que é um luxo, e até Victoria Beckham foi vista com o cabelo amassadinho. Isso sem contar no monte de tranças e rabos e novos penteados pra todo mundo sair da mesmice.

Então, num estilo atendendo a pedidos, vou fazer uma semana inteira de posts sobre cabelo! Maaaaaas, devo dizer que só vou falar do que já experimentei e tal, então vai ser uma semana super curly, dedicada especialmente para as meninas de cabelo crespo como o meu (é difícil encontrar informação e novidades nessa área, néam, gatas?!).

.

.

semana do cabelón

.

Então fica combinado assim: quem quiser fazer alguma sugestão de post, pode deixar um comentário aqui (somente nesse post, please!) ou me mandar um e-mail (soshopaholic arroba gmail ponto com), beleza?

Beijocas e aguardo vocês! Até segunda!

Vivendo a vida (do Manoel Carlos)

Você já sabe como tudo começa: cores pastéis passeiam pela tela, uma musiquinha bossa-nova ao fundo, a Helena mega-esticada-bem-sucedida, e o Leblon bombando na TV. Começou na segunda mais uma novela do Manoel Carlos, o cara que adora uma gente ryca no horário nobre.

Então, gente, alienação mode on, não tenho conseguido acompanhar muita novela, mas sou do povo, não fico de fora meeeixmo. E dei uma bizolhada na tevê na segunda-feira, e o que tenho a dizer?

.

O que eu tenho a dizer é que vou falar de Taís Araújo, gente. Se segura, Berenice. Só vou falar de Taís Araújo hoje, ok?

.

taisEla e o Lázaro Ramos não tavam separados? Oi? O que foi que eu perdi?

.

tais2.

Você já viu um megahair mais ryco que esse?

.

amarelo

eeee

É, amiga, a gente fica gata de amarelo. Só vou usar amarelo no verão, tudo soltinho assim.

.


tais3.

Menina, se liga no emagrecimento sinixtruuu-na-pressão-bombado pra ficar toda trabalhada na cinturinha fina e na calça empapada ao lado da Alinne Morais (adorei o corte dela).

.

véia.

Oi, essa mulher é a mãe da Taís Araújo na novela? Puuuutz! Globo tá perdendo a linha desde que colocou a Ana Paula Arósio de mãe de três galalaus numa novela de época (qual foi, aquela que ela era casada com o Daniel Dantas?) Ciranda de Pedra.

.

Resumindo: liga a tv às 21h na Grobo pra ver o loosho e o poder.

Give a Try

Give a try”

Tentar + dar uma chance. Não necessariamente mudar, mas experimentar. É isso, hoje estou experimentando coisas novas.

15-06-09_1349

Cinto por cima do cardigan: taí uma coisa que eu sempre achei linda, sempre vejo a Lilly usando, mas nunca tinha tentado.

15-06-09_1352

Blusinha cinza Zara

Cardigan rosa Zara (tá na promoção, comprei esse finde!)

Cinto Maria Filó

Colar de óculos Babes in Toyland

E a outra experimentação foi no cabelo, gente. Cortei!!

15-06-09_1351

15-06-09_1353

15-06-09_1356

Tá meio assimétrico, com a parte de trás curtinha e meio bicuda, e a da frente maior (quase sem alteração em relação ao corte de antes). Era exatamente o que eu queria, apesar de ter tido algumas neuroses (ai meu Deus… a) parece que tenho orelhas de cocker spaniel; b) estou parecendo um menino; c) esse cabelo aumentou minhas bochechas).

Agora estou mais satisfeita. E à medida que a parte da frente for crescendo, o corte vai ficando cada vez mais assimétrico.

Quero que a parte da frente fique grande assim:

RIHANNA

E aí, o que vocês acharam?

Qual é o pente que me penteia?

Muita gente comenta sobre o meu cabelo, então resolvi fazer um post. é engraçado. É engraçado porque o nosso país é cheio de mulheres com o cabelo igual ao meu. Igual em origem, claro, porque as aparências variam tanto! Eu mesma já usei mega hair, já fiz relaxamento (por anos!), usei tranças coloridas (lilás, loiro, laranja, azul…) em várias modalidades diferentes. Mas tem dois anos que resolvi encarnar um back to basics e usar um black.

2007, 2008 e ontem, 2009.

2007, 2008 e ontem, 2009.

Quer ler mais? Clica aqui embaixo 🙂

Continue reading

Bad Hair Day ou Se a vida te der um limão, faça uma caipirinha

O título gigante tem explicação: fiz hidratação nas madeixas no sábado, no domingo ele ficou lindo, logicamente por eu ter ficado em casa. Hoje, que tive que voltar à vida social, ele resolveu se rebelar. Meu cabelo é a própria lei de Murphy.

Eu poderia ter me desesperado, amarrado o cabelo num rabo-de-cavalo-último-recurso, mas nããããão, meu povo: eu trouxe a moda para o meu cabelo rebelde! Fiz uma trança! E não qualquer trança, uma it trança!

18-05-09_1558

18-05-09_1559

E aí ficou mais ou menos assim:

18-05-09_1556

Escondi a parte ressecada-descontrol do cabelo numa trancinha pra lá de bacana.

Ah, e o look total ficou assim:

dedão na frente, mas tudo bem!

dedão na frente, mas tudo bem!

E pra fechar: gostaram do cordão? É com um pingente de coração lindo, de um dourado que parece meio antigo. Eu que fiz, faz parte da ferdy, linha de bijoux que eu falei. Vou ver se essa semana faço um post com todas as minhas criações 🙂