Vamos falar sobre revistas?

Se tem dois estabelecimentos que me distraem, são as farmácias e bancas de jornal. Se estou fazendo hora, esperando alguém ou só com tempo livre, entro em uma banquinha e fico vendo as novidades – já fui expulsa por alguns jornaleiros mal humorados, do tipo isso aqui não é biblioteca! –  e acabo sempre comprando alguma coisa. Com essas revistinhas de 5 conto então já viu. Um perigo!

Daí que dia desses comprei a nova Glamour, postei no instagram (tô lá, sou @soshopaholic), e super começou uma discussão bacana por lá e pelo face. A começar pela capa, super rosa e com carinha teen, todo mundo tinha algo a dizer (nem todos falando bem, vejam) e achei tudo tão rico que deveria migrar pra cá, um ambiente democrático em que todo mundo pode meter um pouco o bedelho. Que tal?

.

Minhas considerações:

♥ Realmente achei a capa muito teen, demorei um segundo para ver que era a Juliana Paes mesmo. Achei as chamadas estranhas, obacanal eu cheguei a pensar que era erro de digitação. E “looks ‘uau'”, que diabos é isso entre aspas??

♥ Sobre a linguagem do recheio, achei bem antenada com a linguagem de internet. Parece que estão conversando com a gente o tempo todo, é muito informal (ainda mais se compararmos com algumas matérias da Elle e Vogue, que me parecem meio distantes, quase aulas), e isso é bom (pelo menos pra mim!)

♥ Ainda sobre o conteúdo, tem umas coisas estranhas, como matérias com dicas de sexo oral no namorado. Alguém disse que parecia Capricho para adultos e eu concordei.

♥ Muuuuuito conteúdo de moda, que bom! Mas se o editorial diz que a revista tem “um Glamour zero esnobe, para todos os gostos e bolsos”, isso fica a desejar nas escolhas dos produtores. Tem estola de pele de 3 mil reais, tiara de 400 paus, saia rodada de 3 mil reais, e DUAS PÁGINAS com opções mais acessíveis. Duas páginas em uma revista de 250!

♥ Tem uma matéria mega glorificando a Daslu e suas vendedoras. Achei duvidoso.

 

Essas são só umas pequenas considerações que compõem um cenário maior, que diz respeito ao conteúdo. Como falei da linguagem, você vê também como os blogs de moda influenciaram na criação dessa primeira edição da revista – há diversas blogueiras em suas páginas, incluindo um perfil da Camila Coutinho escrito pela Alê Garattoni. Mas, ao mesmo tempo, há muita, mas muuuita informação que a gente já viu pela internê, como cabelos coloridinhos (candy colors, como a Katy Perry usa), muitas pulseiras usadas juntas, looks do Grammy, etc, e aí fica claro quem se alimenta de quem. Então fica a questão: como blogs e revistas de moda vão conseguir coexistir e ter, cada uma, o seu espaço? Sim, pq eu acho que as revistas não vão acabar – mas será que elas vão conseguir trazer alguma novidade? Qual seria a função das revistas de moda hoje, para uma geração que passa metade do dia no computador?

 

Queria saber o que vocês acham! Vocês ainda compram revistas? Compraram a Glamour?

 

 

Advertisements

Lendo e aprendendo

Vocês sabem que eu sou alocka das revistas, né? Adoro ver as capas, folhear, marcar o que gostei, recortar. É algo que me distrai, mas que também me inspira. E de todas as revistas que compro (tá, nem são tantas assim, ultimamente tenho sido bem seletiva) é a Estilo. Eu gosto como ela tem MUUUITA foto foto foto, como tem joias maravilhosas mas, principalmente, como ela dá dicas de looks com peças que você já tem no armário – ou está numa super dúvida se deve ou não comprar. Assim, não sabe usar top cropped? Corre na Estilo de Outubro que ela mostra pelo menos 3 looks com a peça, e eles não são de passarela. Geralmente são looks dia/noite, festa/trabalho, o que é muito prático e tem muito a ver com o So Shopaholic.

.

Quando termino de ler (isso é, vejo e revejo algumas vezes), a revista fica assim: cheia de marcaçõezinhas!

.

Por isso resolvi, na medida do possível, colocar alguns looks inspirados em matérias. Pq, assim, tudo me inspira: pessoas que vejo na rua, blogs (sempre!), novelas, filmes, revistas… minha vontade é tirar uma foto mental (alguém lembra de um episódio de Friends em que o Alec Baldwin é namorado da Phoebe, super chato e que, em todos os momentos felizes fazia um formato de câmera com a mão e dizia click! Deixa eu registrar esse momento com uma foto mental…“) de todos esses momentos e catalogar. Como não dá (eu já guardo tranqueira demais, gente!), vou organizando algumas coisas, e acho que o blog é um espaço bacana para dividir essas inspirações. Então bora?

.

Casaqueto com vestido nas páginas da Estilo de Setembro

.

Eu sempre achei que os casaquetos – que tem o volume de um casaco normal, mas são curtinhos – caíam melhor com calças sequinhas, então nunca tinha experimentado com vestidos ou saias. Vendo a foto, lembrei logo de algumas peças que tinha, e montei não um, como dooooois looks! Vejam como ficou:

.

.

.

Look 1

.

.

.

Look 2

;

No primeiro look, usei um vestido que eu nunca tinha arriscado para o trabalho… é bem tulipa, sabe? E tem um decote V que eu não acho lá essa discrição toda. Mas com o casaqueto eu achei que o nível subiu um degrau. No segundo caso, eu adorei também. Acho que o conjunto teve uma pegada militar que eu não tinha notado anteriormente.

E vocês,  o que acharam?

Topam mais posts desse tipo?

Clipping da Shopaholic!

.

Tava devendo há milênios os scans da Nylon, que comprei pelo Ebay. A revista não é nova, não traz o último grito da moda, mas tamos aí pra discutir, nénão? Vamos ver o que a gringada curte, ver o que a gente curte, moda não é uma forma de expressão, de comunicação? Então se joguem com força nas páginas dessa publicação, que eu, particularmente, achei bem bacana:

.

Já começa com o fato de que a capa traz a Kat Dennings, que fez um filme-fofo-adolescente que eu curto, o Nick and Norah’s Infinite Playlist (em português ficou Nick and Norah, uma Noite de Amor e Música), que tem o Michael Cera (quem curte aquela carinha de bobo levanta a mão! o/) e é totalmente despretensioso. Não vi outros filmes com a Kat, mas gosto do estilo “não me importo muito com a indústria” que ela parece adotar. A entrevista dela no miolo da revista também é bem bacana, ela fala sobre a ditadura da magreza em Hollywood e também com a amizade com a atriz Olivia Thirby, com quem Kat divide a capa.

.

.

Blusas podrinhas com tema de desenho japonês ❤

.

Adoooro cabelo com cara de desarrumado!

.

.

.

A próxima revista que estou querendo comprar e escanear aqui é a Lula Magazine . Você encontra muita gente falando a respeito, a revista é linda! Super artística, não tem uma pegada tão comercial quanto a Nylon. No entanto, os preços no Ebay estão me deixando bem desanimada… por isso se você, amiguinha leitora de bom coração que mora na Europa, quiser dar uma forcinha e me mandar um exemplar pelo correio (eu pago!) me manda um e-mail e bora virar BFFs 🙂 

Clipping!

.

Gente, lembram daquele post sobre revistas que fiz há um tempinho? Então, achei legal que várias meninas ainda compram e se interessam pelo conteúdo impresso. Eu mesma sou fã e adoraria trabalhar numa publicação assim. Por isso, venho compartilhar alguns achados da edição de janeiro desse ano da Gloss – e antes que venham me dizer aaaah, mas aí não tem mais nenhuma novidade!, eu explico: o So Shopaholic nem é um blog que traz o último grito da moda, né mesmoãn? O que eu trago aqui são algumas observações de moda, e as revistas superexemplificam alguns desses pensamentos. Bora discutchir com exemplos visuais?

 

.

.

.

.

.

.