Semana das Equipments, day 4

Oi, gente.

Passando aqui na correria para publicar o 4º dia dos looks com Equipment!

.

.

A camisa é da minha avó, e é simplesmente enorme. E minha vó é magra, então realmente não lembro em que época ela pode ter usado essa camisa… ou se o modelo é realmente assim. O fato é que a camisa é deliciosamente kitsch. Sim, tem uma pedraria na gola de gosto duvidoso, mas eu confesso que curti a ideia e ainda complementei com um statement que eu mesma fiz um dia, mas que nunca cheguei a usar. Como a blusa era gigaaante, tinha a pedraria, o colar, e ainda um cintinho para acinturar, achei que seria demais uma sapatilha colorida, então coloquei uma meio cobre (essa veeeelha aqui). Só que na volta (fotografo meus looks no fim do dia) peguei uma chuva, a sapatilha ficou toda molhada, e eu deixei na porta de casa, nem cheguei a entrar.

Estava posando descalça para as fotos, quando…

.

Chegou minha personal stylist. Confiram:

.

.

;

.

.

.

.

A Luna curtiu. E vocês, o que acharam?

Semana da Equipment, 3º dia

Esse post pode ser meio embaraçoso, mas vamos lá: nesse dia eu tinha acabado e voltar do aniversário de uma amiga minha (Tê, um beijo!) no Bar do Adão, cujo ponto alto é o pastel. Então vejam bem: pastéis maravilhosos, chopes gelados, gente bacana. No meio da semana, né? Então nem preciso dizer que bebi direitinho e enchi a cara de pastel (o de feijão é ótimo! e o meu preferido é o francês, com camarão, catupiry e alho poró. nham.). Desta forma, as fotos desse 3º dia de blusas equipment (ou quase isso) estão meio… am…tortas.

;

Vocês também acham tudo muito engraçado quando bebem? Eu rio de tudo. E até tenho umas boas tiradas. Geralmente é a hora em que acho que posso beber eternamente – ledo engano, porque a fase seguinte é um sono profundo que me faz dormir em basicamente qualquer superfície, com qualquer música de fundo, luz… eu simplesmente apago. Meio vergonhoso.

.

.

.

e pra trabalhar amanhã, comofaz?

.

.

A camisa de hoje tem uns detalhes navy, e tinha uns botões forrados, mas não estavam completos. Comprei um jogo de botões liiindos, tipo perolazinhas, mas com uma cara de balinhas, e substitui. Fiquei com vontade de usar em cardiganzinhos e blusas que, com o tempo, perderam o seu encanto, sabe? Acho que trocar os botões é uma forma simples de customizar a sua roupa e dar uma cara diferente para ela.

Como não consigo pensar em outra coisa que não seja a combinação de navy com floral (obsessiva, eu?) achei que o look ficou bacana e elegante. Sem contar que a blusa é tão fina, mas tão fina, que não há santo que a amasse no decorrer do dia. **score!**

Uma semana de “Equipments”

Meninas, a semana com looks de mistura de estampas foi um sucesso, todo mundo comentou e vocês até colaboraram com seus próprios looks! Então, resolvi seguir com mais uma semana temática e vou mostrar pra vocês todas aquelas camisas sociais larguinhas que adquiri (a maioria no refugão da Saara, na Rua da Alfândega) em diferentes composições. Espero que gostem e, mais, colaborem com seus próprios looks (bora resgatar aquela camisa social larguinha do pai, do namorado, do tempo de solteira da sua mãe? o lance é ca-vu-car o armário alheio).

Vamos então ao primeiro look?

.

.

Essa camisa causou furor nas meninas mais observadoras. Isso pq as danadinhas ampliaram a foto desse post e viram que a etiqueta dizia “Diane Von Fustberg”. Bom, se é da marca ou não eu não sei, mas a camisa é uma fofura! Tem os ombros mais fofinhos (só eu chamo isso de “manga princesa”?) e é de uma “seda” (aquela que não reconhece materiais) muito fina mesmo. Só assim eu consegui usar uma blusa de manga comprida (mas com as mangas dobradas) em pleno verão carioca. A pele respira bem e não fiquei com pizza (eca) nem nada.

.

.

.

.

.

A saia é mais uma criação de The Shopaholic Company em parceria com Dona Nininha Serviços de Confecção, hahaha. O tecido é totalmente anos 80 (clica na foto que ela fica maior): são fitas k7, patins e coisas fofas como lacinhos e corações. Sem contar que esse roxo é tudo! Fiz a saia toda pregueada, tipo colegial mesmo, e mais compridinha, para poder usar no trabalho.

.

Gostaram? Amanhã tem mais um look com Equipment!

O primeiro look com a (pseudo)Equipment!

Antes de tudo, preparem-se para a cara de fim do dia: estou em um novo projeto lá no trabalho que é mais pesado do que minhas antigas atribuições. E como as minhas fotos são feitas no final do dia (já que, 1. de manhã estou sempre atrasada; 2. saio com o cabelo molhado), a maquiagem já venceu, a boca já está cinza… mas prometo dar uma melhorada.

As fotos estão ruins pra caramba, mas queria mostrar o look que fiz com a incrível “Equipment” de R$ 12 (R$ 10 c0m a pechincha) do refugão do Saara:

.

Nossa, minha mãe me deu essa saia porque ficava apertada nela, que é magra. Como dizer que ficou apertada em mim também? ** O Drama da Pochete **

.

** O Drama da cara de cansada**

.

.

Oh, barriga! Bem que meu corpo poderia chupá-la como aconteceu com o nariz da Gisele Bundchen!

.

E aí, meninas, o que vocês acharam do look com a Equipment?

[Esse foi bem caretinha, vou procurar ousar mais na próxima!]

 

Bjs

Aliás…

Eu adoro os comentários de vocês. E qual não foi a minha alegria ao ler o comentário da Fabi, lá no post sobre a camisa Equipment? Nele, ela contou sobre uma lojinha buraco quente no Saara em que era possível se encontrar um monte de camisas do tipo que queremos, um misto de tia com vó com Carine Roitfeld, quer coisa melhor?

Eu não consegui esperar nem mais um dia. Fui lá na hora do almoço.

A loja fica na Rua da Alfândega, no número 165. A fachada é cheia de biquínis, roupas de ginástica e tralhas pouco ou nada atraentes:

 

.

Entrando lá dentro, mais tosqueira, mas um faro de pechincheira rapidamente te levará às camisas de tia:

.

.

É isso aí, leitoras: elas custam R$ 12. O lugar é quente, as camisas são baratas, as pessoas são amigas. Não tem erro. Você pega o monte delas que quiser experimentar, coloca numa bacia (!!) e vai pro provador. Curti 4, uma estava manchada, fiquei na dúvida. Negociei, paguei em dinheiro e levei 3, cada uma por R$ 10.

Pechincha define:

.

* YAAAAAY*

.

P.S.1.: Conversando com a vendedora (falei que as pessoas eram amigas?) e me disseram que um novo lote de camisas chega na segunda, dia 31. [Tomara que tenham modelos com jabô.]

P.S2.: Ainda sobre as Equipment: tem na liqui da Sacada, people, um modelo militar lindíssimo, todo forrado. Arrematei.

P.S.3.: Equipment para o ano todo, quem curte? Hahahaha

Já ouviram falar da tal Equipment?

(extraído do blog da Garance Doré)

.

Sucesso nos anos 80 e 90, a camisa Equipment foi criação de Christian Restoin, que vem a ser ninguém mais ninguém menos que o marido de Carine Roitfeld, toda-poderosa da Vogue francesa. Tá todo mundo falando dela por aí, e eu não vou ser mais uma a repetir (até pq o Fashion Gazette já fez o melhor post sobre o assunto, esse aqui. Recomendo!). Direta como eu sou, vou logo aos finalmentes: a camisa é ótima.

.

 ♥ Ela é ótima para quem, como eu, trabalha em um ambiente corporativo, mas não curte camisa social – ela é larguinha, feita de seda e, por isso, naturalmente elegante e confortável!

 ♥ Ela é ótima para quem, também como eu, sofre numa cidade quente – sente a finura da peça!

 ♥ Ela é para quem, como eu gostaria de ser, gosta de um ar mais dama da sociedade com peças atemporais, sabe? Pq pode, perfeitamente, ser encontrada no armário da mamãe ou da titia.

Então é simples, colegas shopaholics: eu quero uma.

.

.

Mas é lógico que eu não quero necessariamente uma Equipment. Eu não sou tão ligada nesse negócio de marcas (não desejo uma itbag, por exemplo, preferido 10 bolsas sem nome), então serei muito feliz se encontrar uma blusa social nos moldes da Equipment. Ela precisa:

  • Ser larguinha (pode ser um número maior que o meu);
  • Ser fininha (pode ser de seda, cetim ou mesmo um algodão fininho ou chifon);
  • Ser clara (quero creme, branca ou nude);

Sou fácil de agradar, né?

Vocês que pensam.

Rodei várias (várias!) lojinhas do Centro e nada. Madame Ms, Charming, Missiva, todas essas que vendem roupas sociais. Neguinho me olhou com aquela cara de “sua alienígena!”, de um jeito muuuito parecido com quando eu comecei a procurar saias de cintura alta há coisa de 3 anos ou 4 anos atrás.  Cintura alta, sua louca?!

.

Então tô nessa busca, minha gente. Fazer o quê? Coloquei na minha cabeça que é tipo a roupa ideal pra mim. Ainda mais depois de ver a quantidade de looks bacanas que a Lucy Laucht faz com eles – aliás, vou fazer um post só sobre ela, eu estou completamente apaixonada por essa blogueira, vou mandar declaração de amor e tudo!

.,.

P.S.: Também aceito qualquer modelo desse post da Emily, do Cupcakes and Cashmere. Jabô me encanta, gente. Vou me vestir de secretária dos anos 70 na próxima estação.

Alguém já encontrou por aí?