O inesquecível encontro das blogueiras em um casamento muito especial*

Foi em 2008 que eu comecei a ler o blog da Lily Zemuner, A Casa Está Cheia de Flores. Entrava todos os dias, comentava. Alguns meses depois, criei meu próprio blog, e passei a receber as visitas dela. Em pouco tempo, já tinha criado meu twitter e a gente conversava por lá também, e pelo e-mail (nascia aí alocka das mídias sociais). Então acho que dá pra entender que sim, a Lily é minha amiga, é alguém muito especial pra mim. E que eu me senti lisonjeada de ter sido convidada para o casamento dela. Então larguei tudo, deixei o namorado pra trás e embarquei para São Paulo no último fim de semana!

Sexta-Feira, 00:30

Pego o ônibus na rodoviária do Rio.

Sábado, 7h

Chego em São Paulo. Pego o metrô (aloooor Rio de Janeiro, a boa é integrar rodoviária com metrô, já pensaram nisso?? Que ideia REVOLUCIONÁRIA, né?) e vou para o albergue. Aliás, parênteses para o Olah Hostel, lindinho, com uma amoreira na entrada e café da manhã regado, pertinho do metrô de Ana Rosa.

10h

Parto para o Bom Retiro. Foi a minha primeira vez lá. Eu preciso dizer, meninas. Surtei. Surtei mesmo. Se não tivesse marcado com a Anah de almoçar na Liberdade, acho que tinha ficado o dia inteiro na José Paulino. Anotei o endereço das melhores lojas para passar pra vocês, e vou fazer um post só sobre esses delírios de consumo, ok?

13:30

Almoço com Anah no Rong He, melhor restaurante chinês que já fui na minha existência. Pastel de Nirá é VIDA!

15:30

Fomos a um estúdio de tatuagem. Sim. Fiz uma tatuagem nova.

18:30

Encontramos com a Aline e fomos nos trocar na casa da Anah. Baguncinha. Correria. Vamos para a igreja.

.

(um minuto de silêncio para essa igreja maravilhosa toda em ouro, Brasil!)

.

.

Lily estava uma princesa, e o casal super feliz.

.

.

E aí depois, meu povo, veio a festa. Foi a maior bagunça da vida! Eu, que já sou uma tagarela incurável, tive um surto verborrágico e não parei de falar por horas. É sério. Eu mal comi. Eu mal bebi. Eu só falava bobagem, de tão feliz que eu estava:

.

.

.

E também fiz uma cobertura ao vivo pelas mídias sociais (me convide para o seu casório e ganhe uma cobertura de imprensa):

.

.

.

Foi incrível. Gente, eu conheci a Mira e a Mel, vocês tem noção disso? E finalmente consegui trocar figurinhas com a Ana Lou, amiga via blog e face (abaixo a privacidade no face, amigaaaa!). Sem contar que revi a Nati (recorde de bobagens por segundo, temos a mesma idade mental), Fêzinha (eu fecho o olho e lembro do vozeirão dela), Anah, Aline Aimée, Mari Manso (Papai Noel dazamiga, sempre cheia de presentes), Liana, Dany, Carol (cabelo curtinho liiindo) e Rê Batata.

.

.

E pra quem pediu o meu look, Dany me salvou (levei só o iPhone e todas essas fotos são roubadas**!):

Essa saia linda eu comprei em um brechó!!! Foi o maior achado da vida. Custava R$ 45 e tinha uns furinhos, então a moça deu um abatimento e paguei 30 paus. Na etiqueta diz que é organza de seda, e eu acredito. Para quem quiser mandar fazer, o segredo: ela tem 3 camadas: uma de forro, uma de tule e a superficial, de organza. Isso dá um voluminho bacana e impede de ficar transparente!

.

Damas de amarelo (o vestido da Dany é Farm).

.

.

Ui, cansaram de fotos??

.

Créditos

Saia de Brechó (Coisas do Arco da Velha. Praça General Tibúrcio, 83 Loja 25. Urca). Blusa de seda Lucidez. Sapatilha (fui de sapatilha, Brasil!) Shop 126. Colar Renner. Carteira Sollas.

.

* título fortemente inspirado no livro que estou lendo agora (e amando): O Guia do Mochileiro das Galáxias.

** fotos gentilmente roubadas do face da Renata Batata, da câmera da Dany e do blog da Liana.

Advertisements

Eu poderia ter ido assim

Como contei para vocês no post passado, arrumar uma roupa de festa é uma dificuldade pra mim. Não sei se é para vocês, mas como esse blog é tipo terapia pra mim, achei legal fazer um post com roupas de festa/recepção e tudo mais. Para isso, nada melhor do que dois looks que vi na festa da novela Fina Estampa e que eu super usaria:

.

.

Eu demorei até gostar de macacão, e acho que só passei a encará-lo como uma roupa de festa quando passei a compará-lo a um vestido. Pq né, veja bem, eles são análogos: ambos são peças únicas, você coloca e está pronta. E o macacão pode ser super chique de acordo com o material.

Adorei como essa menina da foto se produziu. Imagina se fosse um vestido preto longo. Imaginou? Então, para acessorar funciona mais ou menos da mesma forma, cintinho, anelão e sandálias douradíssimas. Só que o danado não é vestido, é um macacão. Isso dá um toque extra e uma personalidade que os LBDs jamais terão.

.

.

A moça é jornalista e estava cobrindo a festa para o JB. Imagina: tem que estar bonita pq é festa, mas tem que estar arrumadinha pq é trabalho. Escondam seus bandage dresses! Solução encontrada: saia longa com camisa social (eu sempre penso em Carolina Herrera quando vejo essa combinação) e sapatos confortáveis. Adorei que ela complementou com acessórios clássicos, o bom e velho cintinho fino e um anelão. É isso, gente. Tá muito simples? Coloca um anelão.

A saia da mocinha era de malha, mas super vale comprar (ou mandar fazer) uma saia longa para deixar no armário e sacar sempre que tiver uma festança. Eu comprei uma LINDíSSIMA em um brechó, amarelona, que me faz parecer uma princesa da Disney, que vou ajustar e usar nos dois casamentos que tenho esse ano. Acho que vale ter uma mais básica, tipo azul marinho, para usar com uma blusa de seda e desfilar por aí.

Já podche usar vestido de dia à noite?

Vestido de festa me cansa um pouco. É que nem maquiagem: tenho preguiça. Me joga numa loja para comprar um vestidón de casamento e eu saio com 2 vestidinhos de algodão e uma saia de tule. Gosto de roupa pro dia-a-dia. Então, o casamento que tive no último sábado parecia um desafio, e a célebre frase eu queria ir, mas não tenho roupa! (ainda faço um post sobre esse trauma) ecoou na minha cabeça. Aí pensei: será que não posso adaptar um vestido de dia para um casamento à noite?

.

O vestido é esse aqui:

.

E aí eu coloquei brincos, fiz penteado, e o lindo ficou assim:

.

.

E o penteado que fez sucesso entre azamiga:

.

.

Lembram quando eu falei sobre o valor afetivo das roupas? Então. Esse vestido é do verão da Farm, ganhei do namoradón de aniversário! Então me senti linda ouvindo o tempo todo que estava linda, e nem me importei de não estar usando cetim, ou brilhos, esses lugares-comuns das roupas de noite. Fiquei feliz!

Ah, e o penteado! Me inspirei nesse coque baixo com trança embutida da Anne Hathaway. A cabelereira achou a coisa mais moderna do mundo!