Mamãe, sou hipster!

Tem tanto tempo que eu queria usar calça skinny com a barra dobrada que os hipsters já usaram, já desistiram de usar e agora estão vestindo de novo. O fato é que eu acho que dá um toque super diferente ao jeans com sapatilha de cada dia, te destaca na multidão, mostra “olha, aquela ali pensa nos detalhes”.

E ainda assim é só uma barra dobrada, né.

Daí que minha nova best lá do novo trabalho, a Fê (shopaholic sempre encontra suas semelhantes, e ela é terrível) me ajudou nesse flagra de look rapidinho na hora do almoço. Aproveitei pra brincar com o Pixlr-o-matic e o Leme – Leme, meus novos aplicativos-hipster de iPhone (tem coisa mais hipster do que foto digital com cara de analógica?). Ficou assim:

.

.

.

Bolsinha linda garimparia.
.

Jeans  Animale. Mocassim (!) Shoestock. Bolsinha Garimparia. Casaqueto Lucidez. Blusa rosa Opção. Óculos de brechó. Colares acervo.

Hoje sou uma senhorinha e as Notinhas da Shopaholic

Esse look não é novo, aviso logo. Na verdade, não sei pq, mas quase não tirei fotos na última semana. Tem um pouco a ver com preguiça, mas também pq estou gordinha mesmo, no limite. Precisava perder uns 3 kg para que metade das minhas saias ficasse bacana, e para que as minhas calças compridas ficassem no mínimo elegantes. Mas não! Vou pra academia, mando ver na aula de power butt (fui eu quem batizei a aula assim, mas achei tão bom, tão comercial, que acho que vou patentear), faço os abdominais até sentir gominhos (imaginários) surgindo na minha barriga e aí chego em casa e como. 2 cachorros quentes. E um chocolatinho. Aí não tem santo que opere o milagre do emagrecimento.

Daí o que que eu uso? Calça social mais larguinha e vestidos. Oh, vestidos. Nesse dia optei pela primeira alternativa e, como estava friozinho, usei também um lenço que adoro e esses brincos de pressão que encontrei no Saara: pronto! Fiquei parecendo uma senhorinha!

.

.

.

;

Calça social de origem desconhecida. Camisa que peguei da minha mãe. Lenço Madame Bijoux (SP). Casaqueto Lucidez. Sapatilha Sapatella.

 

Usando o batom Maybelline Hydra Extreme (não encontrei no site da L’oreal…) na cor Sugar Rose.

.

Unhas na cor Charminho Lilás, da coleção Penélope Charmosa, da Risqué.

.

E pra combinar com aquele clima de senhorinha que não para de reclamar, eu sou o tipo de pessoas que adora fazer listas. Sou ariana, dizem que isso é coisa virginanos, mas olha, sempre gostei de listar coisas – é quando eu sinto que sou uma pessoa organizada e que tem controle sobre as coisas. Pena que dura pouco.

Lista das coisas que não entendo:
♥  Banheiros femininos sem ganchinho para pendurar bolsa;
♥  Homens carecas que mantém um rabinho de cavalo;
♥  Como Garotinho conseguiu se eleger governador do Rio;
♥  Como existem pessoas que comem e não engordam;
♥  Pq os jovens gatinhos-admirados-por-todas-as-meninas de hoje tem que ter cabelos tão estranhos;
♥  Como consigo virar amiga de infância de uma pessoa em 10 minutos;
♥  Como alguém pode ser mega-simpática-te-amei num minuto, e fingir que você é transparente minutos depois;
♥  Pq raios blogueiras de moda e fofoca foram convidadas para assistir à Copa na África (lembram?).

E das minorias as quais faço parte:
♥  Das mulheres que não gostam de Sex And The City (pra mim são só quatro coroas assanhadas);
♥  Das pessoas que ainda gostam de Hanson, de 1999 pra cá;
♥  Das arianas que não sabem discutir (fico em silêncio, olhando pro teto);
♥  Das mulatas que não são do samba;
♥  Das cariocas que não curtem havaianas;
♥  Das blogueiras que não amam Melissa;
♥  Das amigas que não telefonam;
♥  Das pessoas que se castigam apenas cortando as unhas;
♥  Das mulheres que preferem fermentados à destilados;
♥  Das pessoas que adoram festas, mas acabam dormindo no balcão.

Agora boa noite, que já passam das onze e eu sou do tipo que, se passar da meia noite, vira abóbora. Beijos!

Eu amo laços!

Você deve ter pelo menos um: pode ser na sapatilha, na bolsa, numa blusinha. O fato é que os laços, lacinhos laçarotes estão em detalhes nas nossas roupas e acessórios já tem tempo. Mas, para quem adora laços, como eu, ainda é pouco. Como usar um lacinho na roupa e ainda assim se destacar na multidão? Simples, galere, o lance é customizar.

Há um tempão eu vi essa foto e a ideia começou a surgir:

.

Não é a coisa mais maravilhosa-feminina-navy e ao mesmo tempo simples? Tive uma pequena surtada e salvei a foto nos meus favoritos. Daí, dia desses, encontrei essa aqui:

.

Laço e renda! Hiperventilei na hora, o pessoal do trabalho ligou 190, os paramédicos chegaram e conseguiram me salvar. A emoção foi grande, gente, mas estou aqui, e ainda consegui salvar a bendita, coisa linda, na minha pastinha. O problema é que não lembro a fonte. #comolidar?

Então, tomada pela emoção, comecei a matutar aqui o look ideal. Como usar um laçarote desses no trabalho, uma coisa meio colegial, meio navy, totalmente maravilhosa? E o melhor: como elaborar esse look com as peças que eu tenho, sem recorrer à Renner? (Ana me twittou uma foto das peças navy da Renner e, Brasil, foi difícil não largar tudo e correr lá). Ainda estava com essa questã na mente quando vi essa montagem lá no blog da Julia Petit:

Lacinhos como gravatinhas!

Adorei a ideia. Achei que tem um tom preppy, arrumadinho, mas ao mesmo tempo, quantas você vê por aí? Então peguei esse vestido velho de guerra (que não precisa passar, é quentinho e sempre me salva nos dias de menos criatividade), coloquei uma blusinha de gola quaaase peter pan por baixo e improvisei o lacinho com uma fita de cetim larga. Para acompanhar, nada melhor do que a sapatilha bicolor.

.

.

.

.

Curtiram?

Vestido Lucidez. Blusinha de baixo sem marca. Bolsa presente da amiga Cat. Sapatilha Renner.

Ventinho sudoeste

Sabe quando, no meio do dia, o tempo fecha, parece que já está anoitecendo e as nuvens cinza são arrastadas por um ventinho gostoso?

É a frente fria chegando. Eu adoro.

É que eu adoro chuva, e fiquei superfeliz quando, no meio da semana passada, senti um ventinho batendo. Oba.

.

.

.

.

.

.

Blusa com aplicações em renda Lucidez. Saia Totem. Sapatilha Imporium. Gatinhos do acervo da produção.