Joga o cabelo pra cima e vai!

.

Meninas do meu coração, esse é o último post da linha de publis desenvolvidos para a Seda! Hoje posto um passo a passo que não leva mais de 5 minutos e tem um efeito muito bacana: um coque “pseudo-rosquinha”!

.

Ele é super simples, mas tem o maior impacto (ótimo para essa sexta feira, pro fim de semana…). Gosto de usar bem alto e gordinho – para isso, é só fazer um rabo mais frouxo. E o legal é que vc não precisa ter o cabelo muito comprido nem usar enchimento – tudo isso você aprende no vídeo! Em caso de dúvidas, estou sempre por aqui, ou lá na fanpage do blog!

;

.

Esse é um publipost?
Sim, é um post feito com o patrocínio de Seda.
Advertisements

Para ter sempre à mão!

Eu costumo andar com o cabelo lindo, leve e solto,  secando ao vento, selvagem. Mas a vida real nem sempre é tão linda quanto essa frase, então muitas vezes meu cabelo seca estranho, com pedaços mais definidos que outros, e o resultado não é tão bacana. Por isso, além do elástico que sempre está no meu pulso (dá só um zoom nos meus looks e você vai ver ele sempre lá, misturado às pulseiras), às vezes eu lanço mão de outros itens para dar um jeito no cabelón e manter o estilo (nada de piranha de cabelereiro, nada de lápis enfiado de qualquer jeito, gente!). Chamo esses itens de “Salvadores”. Querem conhecer?

.

Eu antes, tinha acabado de acordar, veem como estou semeando amor?

.

Agora, os amigos pra transformar a gente (além da maquiagem, que sempre ajuda):

.

E vocês, tem salvadores? Já experimentaram esse produtinho da Seda? Fica a dica, salva muuuuito!

[E para mais fotos, closes e explicações de penteados, corre lá na Fan Page do blog!)

Beijos

.
;

P.S.: Tem post novo lá no blog do vestido viajante!

.

.

Esse é um publipost?
Sim, é um post feito com patrocínio de Seda.

Test drive :: Seda Cachos Comportados e Definidos

Oba!

Eu tenho uma implicância eterna com quem diz “aaaain, queria usar o cabelo cacheado, mas dá um trabalhão pra ficar bonito, néam?”, e a pessoa leva 30 minutos escovando e chapando o cabelo todos os dias. Alôr, povão, eu demoro 5 minutos para pentear os cabelos todos os dias! Enxáguo no banho, tiro o excesso de água com a toalha e mergulho no leave in. Pronto! Cadê mistério? Cadê efeitos especiais? A verdade é que o cabelo cabelo cacheado necessita de hidratação (sempre!) e um bom creme de uso diário. Uma vez que você encontra  esses dois produtos, pode morrer abraçada com eles, gata!

Nesse vídeo eu mostro para vocês meu super método para pentear os cabelos diariamente. Duh, não tem nada de revolucionário, mas é a forma que eu encontrei para espalhar o creme uniformemente. No vídeo (assim como na última semana) experimentei os produtos da linha Seda Cachos Comportados e Definidos e gostei bastante! É um creme grosso, que envolve todo o fio e mantém os cachos no lugar o dia todo. Os fios também ficam brilhantes e muito, muito macios. Para vocês terem uma ideia, a moça da farmácia veio me perguntar que creme que eu usava – e não acreditou quando eu disse que era Seda e não alguma mágica importada. Legal, né? As únicas coisas que eu não amei foram o perfume, que achei enjoativo, e achei também que ele não desembaraça tão bem os fios – de repente tem a ver com o fato de ser mais grosso e tal… – mas é um creme que eu certamente continuarei usando.

.

.

Algumas imagens do cabelo seco com o produto:

.

.
Esse é um publipost?
Sim, esse post é um oferecimento da marca Seda.
.

Você já ouviu falar de publipost?

.

Não sei se todo mundo que lê o So Shopaholic sabe, mas eu sou jornalista. Estudei 4 anos em uma faculdade muito boa aqui do Rio de Janeiro, reconhecida em todo o Brasil. Durante o curso, trabalhei com todo o tipo de coisa, não só em redação, e minhas maiores oportunidades foram na área de assessoria de imprensa. Mas por que estou falando disso, afinal?

Porque muita gente não sabe o que é assessoria de imprensa.

Assessoria de imprensa não é jabá. Não é presentinho. Não é brinde. Não é eventinho. É um trabalho muito maior, mas que inclui todas essas coisas, e acaba sendo facilmente confundido com amizadinha, miguxice, conchavo, etc etc.

Vamos começar do começo: você tem uma marca, digamos, a Shopaholic Bolsas. São bolsas lindas, fofas, você tem lojas em pontos estratégicos e está construindo sua marca. Ok. Para promovê-la, você pode colocar anúncios em revistas de circulação nacional, por exemplo, o que custa 5 mil dinheirinhos por edição e tem um retorno de, sei lá 10% de aumento nas vendas. Mas você descobre que, se você convencer uma produtora de moda a usar uma de suas bolsas num editorial, as vendas aumentam em 25%. Se uma celebridade for vista usando, as vendas da bolsa aumentam em 35%. E se aparecer numa novela da Globo, aí é uma loucura, as vendas aumentam 60% e a bolsa esgota nas lojas em uma semana.

Só que tem uma coisa: se com o anúncio em jornal você gasta 5 mil dinheirinhos, com um editorial de moda, figurino de novela ou apoio a celebridade, você gasta zero dinheirinhos. Para não dizer que é zero, você gasta o custo de produção da peça que você vai presentear/emprestar para a produtora ou celebridade. E suas vendas vão aumentar bem mais. Belezoca, né?

Mas quem faz esse trabalho? Quem entra em contato com as produtoras de moda, assessores das celebridades, figurinistas das novelas?  O assessor de imprensa. É ele que vai elaborar um plano de comunicação que inclui um mailing específico (que nada mais é do que dizer “olha, a Shopaholic Bolsas tem tudo a ver com a Gloss, mas não com a Vogue” ou “consegui o contato da assessora da Fernanda Lima! Vamos mandar uma bolsa pra ela e torcer pra ela usar!”), ficar correndo atrás de produtoras/figurinistas/assessores, além de propor eventos e ações de comunicação fundamentais para a construção da imagem (e pq não reputação) da marca.

E nesse balaio, gatas, é que entram os blogs. Pq as marcas estão vendo que é muito mais barato manter uma relação com blogueiras, que falam para um público bem específico, do que colocar um anúncio na Caras, por exemplo. Assim, quem é sério contrata um profissional que vai manter um contato legal com o blogueiro, que vai saber quais são os blogs estratégicos (o público desse blog é jovem, muitos moram no Rio e curtem um estilo x, já aquele blog tem um público mais maduro, que gosta de y) e sugerir eventos/brindes/promoções que tenham a ver com esse público, etc. Quem não é sério, vai dar tiros para todos os lados, vai fazer propostas de caráter duvidoso (“olha, se você usar minha roupa num look, eu te dou de presente, mas fica entre a gente”, ou então  “faz um post dizendo que estava passando como quem não quer nada na minha loja e encontrou vários produtos imperdíveis que eu te dou um trocado”) ou vai mandar aqueles spams insuportáveis por e-mail (quem aguenta?).

Então esse post gigante serve para dizer o seguinte: o assessor de imprensa é um profissional sério, que estudou e que sabe o que está fazendo quando propõe um plano de comunicação. E quando você recebe uma proposta de gente assim, que você percebe que leu seu blog e sabe do que se trata, percebe que está lidando com gente muito boa. E acho obrigação de quem aceita essa proposta dizer “olha, a Shopaholic Bolsas entrou em contato comigo e me mandou essas sugestões de produtos. Selecionei os mais legais para mostrar para vocês”, e passar a mesma sinceridade para os seus leitores.

Então, gente, não se deixem enganar. Ao virem vários posts sobre o mesmo assunto, desconfiem, perguntem, leiam com atenção. Se não virem as palavras “publicidade”, “publieditorial” ou “post pago”, vocês podem estar sendo enganadas. Eu, que já trabalhei com isso, fui enrolada e me senti um lixo!

Pra você, que além de leitora é blogueira também, cuidado com posts patrocinados. A verdade é sempre a melhor opção – um exemplo que gosto muito de usar é o Ricota não Derrete, que sempre coloca uma linha no final do post e diz “esse é um publieditorial” – não deixe nada no ar.

E pra você que tem uma marca, dê valor ao trabalho do assessor. Há profissionais free lancers, empresas de pequeno, médio e grande porte prontas para fazer um trabalho de qualidade. Não se proponha a fazer coisas por debaixo dos panos. O barato sai caro, e a reputação de uma marca não tem preço.

Para concluir: nada contra posts pagos, até pq dinheiro é bom e todo mundo gosta. Nada contra eventos de marcas, brindes, presentinhos, etc. Mas tudo a favor da sinceridade. E estou aberta a quem quiser discutir a questão aqui ou lá no meu formspring.

UPDATE (em outubro/2012) :: Faltou falar que, além do trabalho da assessoria de imprensa, também rola o trabalho das agências de publicidade, que selecionam blogs dentro do perfil de um determinado produto e anunciam lá. Desta forma, rola remuneração para que a blogueira em questão faça um sorteio, post ou ação promocional. Se trata de uma relação comercial sim, mas não menos importante ou honesta que as citadas anteriormente. A blogueira não deve mentir dizendo que o produto é incrível se não o é, e não deve fingir que o post foi feito espontanemente. É importante deixar claro que se trata de uma ação promocional – como a gente já costuma ver em revistas femininas, por exemplo. Aqui no blog só tivemos esse tipo de ação uma vez, com os posts da Seda – todos devidamente assinalados como publiposts.
Beijos.

________________________________________________________________________________________________________

Curtiu o assunto? O De Chanel na Laje leu os meus pensamentos (#transmimentodepensação) e também está com um post a respeito de publicidade nos blogs. Legal para ler, comentar, ou apenas refletir.